Informações sobre Saúde e Beleza

Nota: As fotos são meramente ilustrativas de modelos profissionais e não incluem imagens de qualquer paciente tratado na clínica.

(43) 3357-1020
Av. Maringá, 1972 - Londrina - PR

A ClÍNICA

A Laser Clinic, é uma clíinica médica, especializada em tratamentos estéticos a laser. Atuando em Londrina - PR desde 2003.

Nossa Missão: Atender a todos com presteza , ser objetivo e eficaz para a realização do bem estar do cliente.

Nossa Visão: Atingir a excelência nos tratamentos, servindo de referência de clinica médica, para tratamentos a laser.

Valores:

  • Valorização de cada cliente/paciente;
  • Transparência no atendimento;
  • Proporcionar a melhor tecnologia em laser.

 

  • Fachada
  • Fachada
  • Recepção
  • Sala de Atendimento
  • Sala de Atendimento
  • Sala de Espera

Equipe

Image

Prof. Dr. Carlos Miranda, M.D, PhD.
Diretor técnico médico - CRM 10712 PR
Professor Adjunto, Universidade Estadual de Londrina
Ex-Professor Adjunto, Faculdade de Medicina, Universidade de Brasília, DF
Visiting Professor, Mount Sinai School of Medicine, New York, USA.
Doutor e Mestre, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, USP.

Image

Profa. Claudia Regina de Resende Miranda Garcia.
Personal Trainner, Eletro-Estimulação
Pós-Graduação em Ciência Técnica e Desportiva, UEL, 1987.
Licenciatura em Educação Física, UEL, 1985.
Professora de Dança Clássica, Alongamento e Ginástica Estética, Centro de Danças e Artes ADANAC, Londrina, 1984-99.
Professora-Fundadora, Ensino Superior de Dança, MEC, 1989.
Cursos de Aperfeiçoamento com: Ismael Guiser, Edith Pudelco e Bill Groves.

Image

Adriane Miranda
Graduada em Ciencias Contábeis , no centro universitario diocesano do sudoeste do paraná em 2005.
MBA Executivo Empresarial em gestão Adminstrativa e Marketing, pela Esab.
Curso Finanças Empresarias, pela Fundação Getulio Vargas.
Curso Marketing, pela Fundação Getulio Vargas.

Psicólogas
Maristela Pfahh | CRP 05459/08
Jacqueline Cunha | CRP 10578/08

Técnica em Enfermagem e Fisioterapeuta
Maria Aparecida Evangelista
Para os seguintes tratamentos:
- Drenagem Pós operatório
- Massagem para tratamento de dor

Esteticista
Danielle Lovo

Lasers

Laser LightSheer Duet

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Laser LightSheer Duet

O laser Gold Standard LightSheer - tecnologia de vácuo assistida. O novo LightSheer Duet traz - redução no tempo de tratamento e da dor reduzida . Além disso traz 2 handpieces: o já conhecido ET e o novo HS (High Speed), com tecnologia assistida de vácuo e área de tratamento de 22x35 mm.

Diferenciais
- Tratamentos até 75% mais rápidos
- Dispensa anestesia
- 2 Handpieces em 1 aparelho
- Mesma eficácia do modelo ET
- Novo design- mais moderno
- Handpieces plug & play

Principais aplicações
O Laser de Diodo LightSheer Duet foi projetado para remover os pêlos indesejáveis de forma rápida e confiável. É um equipamento de última geração, traz tudo o que todos pediam, juntou a eficácia já conhecida do aparelho com uma grande redução no tempo de tratamento e a dor reduzida dramaticamente.
Aplicações: Buço, queixo, rosto, virilha, costas, braços, axilas, perna inferior abdômen, tórax, linha alba.

Gráfico comparativo dos tempos de tratamento
Área de Tratamento Com o ET Com o HS Redução de Tempo
Costas 60 min 15-20 min 67-75%
Peito 40 min 15 min 67%
Ombros 20 min 10 min 50%
Axila 10 min 4 min 60%
Perna inteira 60 min 20 min 67%
Perna inferior 45 min 15 min 67%
Virilha 15 min 5 min 67%


Comparativos de tamanhos

Harmony Pixel

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

O Harmony Pixel ® é um equipamento de última geração, versátil, e a opção mais moderna para um fotorejuvenescimento seguro e de longa duração.
Reunindo luz pulsada, laser tradicional e laser Erbium fracionado, ele promove "peeling" profundo, remoção de manchas e intensa produção de colágeno na pele tratada.
Pode ser aplicado em qualquer tipo de pele, e em várias áreas do corpo como: rosto, colo, pescoço e mãos.
É um tratamento eficaz e seguro sem efeitos colaterais, sem dor e não exige tempo de recuperação. O aparelho tem aprovação do FDA, e já foi testado em mais de 45 países.

Fotorejuvenescimento - É possivel conseguir resultados duradouros de boa qualidade após 3 aplicações. A descamação e vermelhidão são mínimas, dando á pele apenas um aspecto de bronzeado leve. Após 3 a 5 dias há completa cicatrização. Os melhores resultados são observados em pessoas com idade entre 30 e 60 anos.

Estrias - Mesmo estrias antigas brancas respondem ao tratamento, porém quanto antes iniciado melhor o resultado.
Cicatrizes de acne - O Harmony Pixel® é um dos poucos tratamentos realmente eficazes para este tipo de problema. Ele melhora a textura e o aspecto da pele. Normalmente são indicadas 3 sessões intercaladas a cada 15 dias. O resultado final aparece entre 3 e 6 meses após as aplicações e é bastante duradouro, uma vez que produz remodelação e geração de novo colágeno na pele.

Manchas senis e solares - Um nova tecnologia de luz pulsada utilizada pelo aparelho, apresenta ótimos resultados em face, braços e mãos, dando um aspecto mais jovial à pele.

Poros abertos - Principalmente em bochecha e nariz, suaviza e melhora a textura destas regiões.

Olheira - Geralmente deve ser associado a outros tratamentos adjuvantes, como peelings e cremes, para obtenção de bons resultados.

Tratamento - Geralmente são necessárias de 3 a 5 sessões em intervalos de 2 a 4 semanas. Como o laser de Erbium interage diretamente com as moléculas de água, pacientes que apresentam pele bem hidratada, apresentam melhores resultados e com menor número de sessões.

PERGUNTAS FREQUENTES

O que é o HARMONY PIXEL?
HARMONY PIXEL pixel, é um equipamento que reúne uma nova tecnologia em luz pulsada com laser Erbium fracionado. Trata-se de uma nova geração de laser de rejuvenescimento , produzindo resurfacing seguro e efetivo da pele da face, pescoço, tórax, mãos e braços,; Produz ainda um tratamento altamente eficaz de cicatrizes de acne, manchas solares ou de idade poros abertos e estrias brancas ou vermelhas.
É um tratamento eficaz e seguro sem efeitos colaterais, sem dor e sem downtime. O aparelho tem aprova��o do FDA, e já foi testado em mais de 45 países.

Como Funciona o HARMONY PIXEL?
A energia do laser fracionado faz micro-furinhos na pele e estimulam intensamente a formação de colágeno e fibras elásticas. Ela gera uma zona de de ablação que afeta 15-20% da área tratada, deixando a pele intacta ao redor. A pele intacta serve como um reservatório para recuperação acelerada da área tratada. A cura rápida diminui o risco de infecções e permite ao paciente volta imediata a rotina diária, limitando a área afetada, áreas delicadas como das mãos, pescoço, rosto, podem ser tratadas com segurança.

Que condições melhoram com o HARMONY PIXEL?
- Rugas finas
- Manchas senis e solares na face, braços e mãos
- Cicatrizes de acne
- Estrias brancas ou vermelhas
- Fotorejuvenescimento
- Poros abertos
- Olheira

Que pessoas podem ser tratadas com o HARMONY PIXEL?
Pode ser feito em peles claras, morenas e até negras, durante todas as estações do ano. A faixa etária vai dos 15 aos 60 anos.

Qual a vantagem do HARMONY PIXEL em relação aos outros lasers?
Comparado com lasers similares que estão no mercado ele apresenta resultados semelhantes ou melhores com o mesmo número de sessões – 3- porém sem efeitos colaterais, sem dor; sem vermelhidão. Não há a necessidade da aplicação de pomadas anestésicas, corantes, e a duração de cada sessão é bem menor ; em média 20 minutos, enquanto que com os outros lasers é de 1 hora. Tudo isso permite um custo muito mais acessível por sessão. Além disso, ele pode ser aplicado em várias áreas do corpo, inclusive em regiões de pele delicada como a do rosto, colo, pescoço e mãos.

O que o paciente pode esperar da aplicação do HARMONY PIXEL?
Durante a aplicação, há um aquecimento local a medida que o laser é aplicado. O paciente experimenta uma sensação de pele "firme" com uma textura mais suave e poderá retornar ao trabalho imediatamente após o tratamento. Logo após a sessão o paciente terá na pele tratada uma sensibilidade semelhante à de uma queimadura solar leve, que durará algumas horas.

Quais os cuidados a serem tomados após a aplicação do HARMONY PIXEL?
Não há necessidade do uso de pomadas, cremes ou medicações analgésicas, apenas água gelada ou água termal. Nos dias seguintes a pele assume uma tonalidade bronzeada e posteriormente descama-se. Nos tratamentos leves desaparece em 2 dias, nos intensivos em 5 dias. Tal descamação pode ser mascarada por uso de bases ou protetores solares. As lesões pigmentares escurecem ainda mais, depois de cada dia vão clareando. Pode-se formar "casquinhas" que evoluem espontaneamente após alguns dias.

Há algum efeito colateral?
Por se tratar de um laser fracionado, não agessivo, praticamente não há efeito colateral. A vermelhidão é leve e dura de 2-3 dias ao contrario dos 7-14 dias dos outros lasers tradicionais. A pele fica com um aspecto de bronzeado leve e depois descama. Após 3-5 dias a área tratada está completamente cicatrizada. O procedimento é indolor e sem downtime e o paciente poderá retornar ao trabalho imediatamente após a sessão.

Quantas sessões são necessárias?
O resultado é cumulativo e gradual. Geralmente são necessárias de 3-5 sessões em intervalos de 2-4 semanas.
Como o laser de Erbium interage diretamente com as moléculas de água, pacientes que apresentam pele bem hidratada, apresentam melhores resultados e com menor número de sessões.

Quais tratamentos podem ser associados à aplicação do HARMONY PIXEL?
Rotineiramente associados os peelings que inclusive farão parte dos protocolos e deverão ser aplicados em semanas intercaladas.

Os lasers mais antigos para rejuvenescimento deixavam a pele vermelha, com crostas e descamação intensa por dias; é verdade que este novo laser não produz este tipo de efeito?
Com o uso do HARMONY PIXEL pixel na face, a agressão produzida pelo laser é gradual; com isso é possível conseguir resultados duradouros de boa qualidade após 3 aplicações. A descamação e vermelhidão são mínimas, dando á pele apenas um aspecto de bronzeado leve. Após 3-5 dias a pele está completamente cicatrizada. O procedimento é indolor e sem downtime.

Cicatrizes de acne. Há algum tratamento realmente eficaz para este problema?
O HARMONY PIXEL pixel é um dos poucos existentes. Ele melhora a textura e o tônus da pele, dando um aspecto mais jovial ao rosto. Geralmente são indicadas 3 sessões intercaladas a cada 15 dias. O resultado final aparece 3-6 meses após as aplicações e é bastante duradouro, uma vez que ele produz remodelação e geração de novo colágeno na pele.

Qual a melhor idade para realizar o rejuvenescimento (resurfacing) da pele?
Pacientes entre 30-60 anos apresentam os melhores reusultados com o rejuvenescimento de pele com o HARMONY PIXEL. A resposta ao laser é melhor em peles hidratadas, e neste faixa etária ainda não houve perda desta hidratação. Porém para tratamento da cicatriz de acne, o laser pode ser indicado em pessoas mais jovens, e os resultados são impressionantes.

Ultracontour

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Sistema de Lipo não-invasiva e Drenagem Linfática por Ultrassom.
2 à 4 cm a menos em cada aplicação

Acaba de chegar ao Brasil o UltraContour®, aparelho inovador que promove a quebra de gorduras com muito mais potência, pois é o único aparelho a utilizar duas formas de ultra-som combinado. o HIFU (Ultra-som Focalizado de Alta Intensidade) que rompe as células de gordura e o UMD (Drenagem por Massagem de Ultra-som) que destina-se à eliminação dos resíduos de gordura; tudo em uma única sessão do tratamento.

Tratamento
A tecnologia de ultra-som é antiga e já é usada para fins estéticos, porém os resultados anteriores eram mais modestos, pois se tratavam de ultra-sons de intensidades menores. Aprovado pela ANVISA, o UltraContour® se diferencia por ser de alta intensidade e focalizado, atingindo as células de gordura com mais potência. As sessões são totalmente orientadas e monitoradas pelo computador do aparelho, garantindo um resultado homogêneo em toda área tratada.

Resultados
A perda de medidas ocorre logo após a aplicação, em média entre 2 a 4 cm de diâmetro. A redução não ocorre por perda de líquidos, e sim por destruição da gordura. Prova disso é que a diminuição das medidas já é visível antes mesmo da fase da drenagem realizada pelo aparelho. Áreas muito extensas podem ter resultados menores, sendo recomendado concentrar nos locais de maior acúmulo. É comum o paciente ainda perder de 1 a 2 cm ao longo da primeira semana após a sessão. O tratamento é indolor, sem efeitos colate- rais e sem a necessidade de interrupção das atividades normais.

PERGUNTAS FREQÜENTES

O que é o UltraContour?
Trata-se de um sistema não invasivo de terapia combinada com ótimos resultados em tratamentos de contorno corporal e gordura localizada, pois é o único a utilizar duas formas de ultrassom combinado. Ele atinge apenas o tecido gorduroso, deixando outras estruturas, como vasos, nervos e músculos inalterados. O número de pontos a serem tratados e a intensidade do ultrassom são calculados pelo computador do aparelho.

Como funciona?
A primeira fase do tratamento é através de um sistema denominado HIFU (Ultra-som Focalizado de Alta Intensidade), que apresenta 2 efeitos principais nas células de gordura: dissocia os triglicerídeos, fluidificando-os; e rotura da célula de gordura.
A segunda fase é feita por 18 transdutores UMD (Ultra-som de Multi-Drenagem) e destina-se à eliminação por drenagem linfática dos resíduos de gordura. Esta fase é importante, pois caso esta gordura não seja eliminada para o sistema linfático, o organismo tende a reaproveitá-la em adipócitos normais, após algumas horas.

Como a gordura é eliminada? Há risco de ir para o sangue?
A gordura é eliminada pelo sistema linfático, não trazendo riscos de aumento de gordura no sangue.

É igual aos outros ultrassons já existentes?
Não. A tecnologia de ultra-som é antiga e já é usada para fins estéticos, porém os resultados anteriores eram mais modestos, pois se tratavam de ultrassons de intensidades menores. O UltraContour se diferencia por ser de alta intensidade e focalizado, atingindo as células de gordura com mais potência e criando um efeito mecânico sobre o tecido adiposo. Um sistema de imagens ultra-sônicas permite controle absoluto sobre a emissão de energia; orienta e monitora em tempo real o tratamento e garante uma cobertura homogênea da área tratada. Ela mapeia a área já tratada e impede a duplicidade ou falta de tratamento na área pré-determinada, evitando a ocorrência de irregularidades e depressões.

Como é a sessão?
Marcasse a área a ser tratada; aplicamos um gel e com um transdutor são dados disparos sobre a gordura. Depois disso alguns transdutores promovem uma drenagem da região. Não injeta-se ou corta-se nada. Esse é um tratamento totalmente não invasivo, seguro e indolor, sem necessidade de interromper suas atividades normais e sem efeitos colaterais.

Que áreas podem ser tratadas?
Qualquer região do corpo onde há acúmulo de gordura: abdômen, braços, flancos, coxas, costas. Tratamos até duas regiões por sessão. O intervalo entre as sessões pode ser semanal ou quinzenal. O número de sessões varia individualmente, de acordo com a quantidade de gordura na região.
O tratamento é indicado para pacientes saudáveis com espessura de tecido subcutâneo de no mínimo 1,5 cm em áreas de abdome, coxa ou flancos. A gordura deve estar numa área localizada e o tamanho dessa área deve ser maior que 100 cm2.

A perda de medidas ocorre logo após a aplicação, sendo a redução média entre 2 a 4 cm de diâmetro. A perda não ocorre por perda de líquidos, e sim por destruição da gordura. Prova disso é que a redução já é visível antes mesmo da fase da drenagem realizada pelo aparelho. Áreas muito extensas podem ter resultados menores, sendo recomendado concentrar nos locais de maior acúmulo. É comum o paciente ainda perder de 1 a 2 cm ao longo da primeira semana após a sessão. O tratamento tem a mesma eficácia tanto para homens quanto para mulheres.

Quais as recomendações após as sessões?
O paciente deve tomar bastante líquido nos três primeiros dias após a sessão, além de evitar alimentos muito gordurosos. Opcionalmente, pode-se associar outros tratamentos para acelerar a eliminação da gordura e ajudar na perda de medidas.
Sugere-se que durante o período de tratamento o paciente tenha uma dieta com baixa ingestão de gorduras e tome bastante líquidos – água, chás, e sucos- pelo menos 2 litros por dia, isso ajudará o organismo a eliminar os restos de gordura e auxiliará o trabalho do fígado. A prática de atividade física também é recomendada.

O resultado é permanente? A gordura volta?
As células de gordura são diminuídas permanentemente. Não é comum a gordura voltar;porém se o paciente ganhar peso, poderá acumular gordura novamente na região. Hábitos saudáveis de alimentação e atividade física contribuem para manter os resultados. Os alimentos que acumulam gordura devem ser evitados.

Quais são as contra-indicações?
O tratamento não deve ser realizado em grávidas; pessoas com doenças sistêmicas descontroladas, história de hepatite prévia; portadores de tumores, tromboflebite, hemofilia instável; inflamação, infecção, úlcera, sangramento, psoríase, marcapasso, implantes de metal ( como DIU de cobre) na área a ser tratada.

Quanto tempo dura o tratamento?
Cada sessão dura em média 1 hora , são recomendados em média 3-6 sessões com intervalos de 7-14 dias.

O Ultracontour substitui a lipoaspiração?
Embora seja chamado se lipoaspiração não cirúrgica, o ultracontour trata-se de um método não invasivo de tratar acúmulos de gordura, em pequenas áreas e gradualmente. O lipoaspiração é um método cirúrgico, invasivo, que permite o tratamento de várias áreas, com níveis maiores de resultado.
O ultracontour não substitui a lipoaspiração, mas é um método alternativo para aqueles paciente que não desejam ser submetidos a uma cirurgia , desde que orientados sobre as diferenças dos métodos.

Pode ser utilizado após lipoaspiração?
2 meses após para complementar resultado.

CO2

Esse artigo sobre Laser Fracionado de CO2 pretende explicar o funcionamento Laser de CO2, vantagens no tratamento com Laser Fracionado de CO2 e  principalmente indicações e contra-indicações do Laser, assim como cuidados após a realização do Laser.
O Laser Fracionado de CO2 consiste em um laser que tem alta afinidade pela água da pele e ao ser utilizado promove sua vaporização com consequente cicatrização e estímulo à formação de colágeno, que diminuem cicatrizes traumáticas, cicatrizes cirúrgicas, estrias e manchas na pele, além de promover o rejuvenescimento.
O tempo de recuperação é rápido, de 3 a 7 dias e não impede o trabalho. Após o procedimento deve-se evitar o sol e deve-se utilizar fotoprotetor solar, com alta proteção UVA e UVB.

O que é Laser de CO2?

O Laser de Co2 possui grande afinidade pela água presente nas células da pele e é absorvido por elas. Ao absorver a energia do laser, há um rápido aquecimento dessas células na pele, que se vaporizam. Isso deixa um espaço de regeneração da pele, que se retrai rapidamente, provocando uma reorganização do tecido vaporizado e da pele ao redor, o que auxilia na retração da pele flácida.

Como funciona o Laser Fracionado de CO2?

A diferença entre o Laser CO2 tradicional e de um Laser Fracionado de CO2 é que o Laser de CO2 atua em toda a superfície aplicada, como um “jato”, causando maiores efeitos, mas com lesões da pele muito maiores e conseqüentemente um tempo de recuperação muito maior, pós aplicação do Laser.
No Laser Fracionado, o sistema atua como um “chuveiro de alta potência”, onde o laser de CO2 vai penetrar profundamente na pele, mas deixando áreas íntegras ao redor. Com a tecnologia do Laser Fracionado de CO2 o tempo de recuperação é muito curto pois essa pele íntegra rapidamente recompõe a pele lesada, mas como ela também recebeu o aquecimento do laser também receberá os benefícios, assim há um estímulo à cicatrização e à remodelação do colágeno, com contração das fibras e diminuição da flacidez e das cicatrizes, como as cicatrizes de acne e também das estrias. Por eliminar uma parte dessa pele lesada e estimular uma formação de um tecido novo, o laser fracionado também atua eliminando algumas manchas na pele, como o melasma, por exemplo.

Quais as Vantagens do Laser Fracionado de CO2?

  • O Laser Fracionado de CO2, ao permitir que haja pequenas áreas de pele não danificada favorece uma rápida recuperação da pele, além de diminuir os efeitos colaterais. Assim o tratamento com o Laser Fracionado é superior tanto nos melhores efeitos quanto nos menores efeitos colaterais que o Laser de CO2 tradicional, dermoabrasão, peelings profundos etc. Assim um rápido resumo das vantagens do Laser Fracionado de CO2 seria:
  • Maior integridade da pele, diminuindo efeitos colaterais: pois o Laser de CO2 Fracionado deixa porções de pele íntegras, que cicatrizam rapidamente.
  • Não forma crostas: ao contrário da demoabrasão e dos peelings profundos, o laser fracionado de CO2 não deixa crostas.
  • Mínimo Down-time (tempo de recuperação): A recuperação após realizar o laser fracionado, é rápida, não atrapalhando nas atividades diárias do paciente.


Quais são as indicações para o Laser Fracionado de CO2?

O Laser Fracionado de CO2, está indicado nos casos em que queremos promover uma remodelação das camadas da pele e estímulo da produção de colágeno, trazendo diminuição da flacidez da pele e das manchas na pele. As principais indicações são:

  • Tratamento das Cicatrizes de acne: um dos casos em que o Laser Fracionado de CO2 está melhor indicado.
  • Tratamento de Poros abertos / Poros dilatados,
  • Tratamentos de manchas na pele: hiperpigmentação e melasma,
  • Tratamento de estrias: tratamento a laser de estrias brancas ou vermelhas,
  • Rejuvenescimento da pele
  • Tratamento de rugas da face: rugas finas dos lábios, na testa e “pés de galinha”,
  • Tratamento de Flacidez da pele
  • Tratamento de manchas senis e solares: envelhecimento solar do rosto, pescoço, papada, peito e mãos
  • Tratamento para olheiras.

 

Quanto tempo demora e como é o procedimento com Laser Fracionado de CO2?

O procedimento é relativamente rápido, demorando em torno de 20-45 minutos dependendo da área a ser tratada com o laser. Normalmente são necessárias de 3 a 6 sessões para se atingir os resultados esperados e só o seu dermatologista poderá determinar melhor o seu caso. Cada sessão pode ser feita com intervalos de 2 a 6 semanas, dependendo da área tratada, do aparelho utilizado e da técnica empregada.
É comum alguns médicos  prescreverem alguns produtos para preparar a pele, antes da realização do laser fracionado, embora não seja essencial.
Durante o procedimento são utilizados produtos para promover anestesia da área a ser tratada. Além de equipamentos para diminuir a sensibilidade e a dor ao procedimento.

Como fica a pele após o tratamento com o Laser Fracionado de CO2?

Algumas pessoas perguntam se o Laser Fracionado de CO2 dá manchas, é importante que se tenha alguns cuidados, para evitar os efeitos colaterais, que são poucos, mas possíveis. Nos primeiros dias após a aplicação do Laser Fracionado de CO2, a pele tratada pode ficar rósea ou vermelha e edemaciada (inchada) em algumas regiões, sendo mais comum nas primeiras 24 horas, principalmente em locais de pele mais fina, como região periocular. Entre o 2-3º dia há formação de uma crosta muito fina sobre a pele, que será rapidamente eliminada.
Freqüentemente a pele volta ao normal em torno de 3 a 7 dias, mas não impede as atividades do dia-a-dia, podendo realizar suas rotinas normalmente. Deve haver apenas uma maior atenção a alguns cuidados.

Após realizar o tratamento com o Laser Fracionado de CO2, quais cuidados devo tomar?

Os principais cuidados a serem tomados após o tratamento a laser são:

  • Evitar exposição ao sol nos 15 dias após aplicação do laser fracionado, justamente para evitar o aparecimento de manchas.
  • Uso de compressas geladas, ou compressas de camomila nas primeiras horas para alívio do ardor (freqüente com alguns lasers).
  • Hidratação com óleo ou creme hidratante específico prescrito pelo médico 2 ou mais vezes ao dia.
  • Filtro solar com proteção UVA e UVB altas nas áreas tratadas


Quem pode realizar o tratamento com o Laser Fracionado de CO2?

O tratamento pode ser feito por todo tipo de pessoa, não havendo restrições a partir dos 15 anos aproximadamente. Pode ser feito tanto em pessoas de pele clara ou morena. O Laser Fracionado de CO2 pode ser realizado em qualquer estação, não havendo necessidade de evitar o período do verão, desde que o paciente tenha o cuidado de não expor a área tratada durante todo o tratamento e por 15 dias após o final do tratamento a laser.

Quais são as contra-indicações do Laser Fracionado de CO2?

O uso do laser fracionado possui poucas contra-indicações, muitas delas comuns a vários procedimentos:

  • Gravidez
  • Pessoas em tratamento com isotretinoína.
  • Herpes em atividade
  • Pacientes com sensibilidade à luz: por exemplo, os portadores de Lupus e Pênfigo.
  • Pacientes em tratamento imunossupressor, como quimioterapia ou radioterapia.
  • Lesão pigmentar suspeita
  • Historia de problemas de cicatrização
  • Formação de Quinóides
  • Hiperpigmentação


Quando verei os resultados com o Laser Fracionado de CO2?

Alguns resultados já aparecerão logo na primeira sessão como diminuição dos poros, melhoras das rugas finas e rugas médicas no rosto, testa, rugas nos lábios e rugas perioculares.
Naquelas alterações onde é preciso a recuperação do colágeno, rugas profundas, flacidez da pele e estrias os efeitos finais ocorrem 6 meses após o tratamento.
E por último, como tratamento para manchas na pele, principalmente o melasma, pode-se conseguir boa melhora.

Ponteira Elektra

O módulo Elektra é um laser NdYag Q-Switched FRACIONADO de alta potência extremamente versátil que vai muito além da remoção das tatuagens. Com o fracionamento do laser NdYag Q-Switched, este se torna muito mais seguro, permitindo a sua utilização para novas indicações, com muito mais conforto para o paciente e sem downtime.


Conheça a versatilidade do Elektra:

  • Lesões Pigmentadas Profundas
    • Nevus de Ota
    • Pigmentação provocada por cicatrizes de acne
    • Qualquer pigmento profundo
  • Estrias
  • Melasma
  • Lesões Vasculares Profundas
    • Rosácea
    • Spiderveins
    • Hemangiomas profundos
    • Olheiras
  • Estímulo de Colágeno
    • Rugas e Linhas Finas
    • Sulcos Nasogenianos
  • Remoção de Tatuagem
    • Escuras e coloridas (KTP 532)
    • Ideal para áreas com tendência a quelóides e sensíveis

 

Obs.: o módulo Elektra pode ser operado no modo Fracionado ou Padrão, dependendo do Tip conectado.


Especificações Técnicas
Ponteira: QS Nd: Yag 1064nm QS Nd: Yag KTP 532nm

Indicações:

Lesões Pigmentadas Profundas, Estrias, Melasma, Lesões Vasculares Profundas, Estímulo de Colágeno e Remoção de Tatuagem Tinta Escura.

Remoção de Tatuagem Tinta Clara

Comprimento de Onda (nm):

1064

532 (dupla freqüência)

Comprimento de Pulsos:

20 ns

20 ns

Spot Size (mm):

1,2

2

Taxa de Repetição do Pulso:

1,2,5

1,2,5

Energia (mJ/cm2):

400-1200

400-1200

 

 


Soluções

  • FACE
  • CORPO
  • PELOS
  • TATUAGEM
Laser para tratamento estético facial

O que é
É uma série de tratamentos suaves utilizando luz e laser com a intenção de atenuar as rugas, manchas e vasos. Para se obter eliminação de rugas de maneira mais efetiva é importante mais de uma aplicação. Na tecnologia atual, o laser não provoca mais queimadura violenta, que deixava a paciente em casa às vezes durante trinta dias, com grandes riscos de manchas e cicatrizes. Também não é mais usado de uma só vez. O aparelho permite a regulação da profundidade da ação do laser e as aplicações são no mínimo três.

Indicações
É um tratamento combater o envelhecimento com resultados mais rápidos que os obtidos com o uso de cremes, não obriga a se afastar das suas atividades habituais, pode ser feito inclusive no verão. Trata não somente rugas, mas também manchas, coloração amarelada e opaca da pele e teleangiectasias (vasos de pequeno calibre dilatados). O uso do laser para manchas solares e rugas é mais indicado a partir dos 25 anos, pois antes é pouco provável haver um processo de envelhecimento facial. Já o tratamento de manchas e vasos pode ser realizado inclusive em crianças. qualquer área do corpo pode ser tratada. O Laser também pode tratar acne, rosácea, olheiras, cicatriz de acne, redução do tamanho dos poros da face, pigmentação, escleroses de vasos, estrias, cicatrizes, manchas escuras e lesão de sangue.

Contra Indicações
Não existe nenhuma contra-indicação absoluta, também na pele bronzeada o mesmo pode ser feito. Como o processo estimula a síntese de colágeno é importante que a pessoa tenha uma saúde razoável, uma alimentação saudável e tome alguns cuidados com a pele conforme indicado abaixo. Todos os candidatos devem passar por avaliação médica detalhada. O tratamento funciona melhor nos pacientes que estão em uso de filtro solar e cremes com produtos rejuvenescedores, como é o caso do ácido retinóico e clareadores como o ácido kójico.

Resultados esperados
Todo tratamento facial pode ser complementado com peelings, Toxina Botulínica e implante. No tratamento com laser deve-se fazer uma manutenção anual. O tratamento feito em consultório deve ser complementado com o tratamento diário com os produtos prescritos pelo seu médico como, por exemplo: ácido retinóico, vitamina C, e ácido kójico. O uso do filtro solar é indispensável desde a infância, porque os efeitos nocivos do sol são cumulativos. Após o tratamento a laser, o protetor precisa ser usado diariamente.

Possíveis complicações
Manchas claras ou escuras, raras, porém que podem durar até seis meses.

 

Toxina Botulínica Tipo A


O que é?

Trata-se de uma toxina extraída da bactéria Clostridrium botulinii, a causadora da doença botulismo.

Como é usada?

Pequenas doses são injetadas nos grupos musculares desejados, com a finalidade de inibir ação da acetilcolina nos receptores musculares. Consegue-se, então, o efeito de relaxamento da pele envolvida.

Quanto tempo dura?
Em média temos dois tipos de efeito: um efeito de 4 a 6 meses no músculo tratado que vai retornando à sua atividade anterior, porém menos intensa. Outro é o efeito sobre a ruga, que pode ser atenuada por muito mais tempo, uma vez que a pele que ficou em repouso por 4 meses, teve tempo de voltar ao normal e sofreu um processo de "reforço" na derme.
De qualquer maneira sempre são recomendadas sessões de reforço quando as rugas começam a se pronunciar.

Qual a melhor idade para iniciar o tratamento?
Como vimos quanto menor a ruga mais duradouro será o resultado. Hoje temos indicado para pessoas jovens que têm rugas superficiais.

Homens também podem ser tratados?
Sim, os homens também podem usar toxina botulínica. Alguns homens mais velhos e mesmo mulheres que apresentam pele oleosa e espessa podem apresentar certa queda da região central da fronte. Este é um efeito indesejado e o médico deve evitar doses muito altas do medicamento nas rugas da testa ou mesmo contra-indicar o tratamento nesses pacientes.

Existem condições que contraindicam o tratamento?
Sim, rara, a miastenia gravis é uma doença que leva a um enfraquecimento progressivo muscular e também da musculatura levantadora das pálpebras. Nesse pacientes fica contra indicado o tratamento. Pacientes com infecções e cistos inflamados também devem ser tratados antes da aplicação.

Quanto tempo leva a aplicação?
Após 30 minutos com um creme anestésico sobre as áreas marcadas pelo médico. A aplicação, feita com seringa de insulina, não leva mais que 10 minutos.

Quais são os cuidados após a aplicação?
Na verdade poucos, o paciente é orientado a não massagear as áreas tratadas e não se deitar nas 4 horas seguintes (para evitar a mobilização do líquido). Há pessoas que voltam a trabalhar logo após a aplicação

 

Peeling


O que é:
Do inglês peel off, significa a remoção das camadas mais externas da pele por meio químico (eg. ácidos) ou físicos (laser ou lixas como o peeling de diamante). O objetivo de se fazer o peeling é retirar a camada antiga da epiderme ou até da derme e estimular a produção de colágeno para dar lugar a uma nova pele, mais espessa e com menos manchas e rugas.

Os peelings podem ser superficiais, médios ou profundos, dependendo da profundidade da lesão que se deseja tratar.

Indicações:
O agente de peeling e a periodicidade do procedimento variam de acordo com o objetivo do tratamento (acne, envelhecimento cutâneo, manchas) e devem ser indicação médica.

Instruções pós peeling:
Á normal vermelhidão, inchaço e escurecimento da pele, nesta sequência. Ocorre um retesamento da pele, como se estivesse coberta por plástico. O escurecimento é maior nas áreas de hiperpigmentação pré-existentes o inchaço é maior após 2 dias. As primeiras áreas a descamar são aquelas com maior movimentação muscular em torno da boca e dos olhos, podendo haver coceira nessa fase. Não remova a pele descascada, pois isso pode resultar em demora da cicatrização ou manchas vermelhas. Para limpar a pele use sabão neutro suave com água levemente morna, sem friccionar ou esfregar a toalha no rosto. Após a lavagem use o gel de nafazolina com algas (compre na farmácia de manipulação) sem esfregar para evitar que a crosta se parta precocemente. Ao tomar banho não deixe o jato de água atingir o rosto diretamente e ao lavar os cabelos, incline a cabeça para trás para não escorrer shampoo pela face. Não arranhar, coçar ou esfregar a pele desnecessariamente e reduzir a expressão facial ao mínimo. Dormir de costas, não se expor ao sol e não realizar esforço físico.


Os cuidados são mais intensos dependendo da intensidade do peeling:
a. Peeling superficial:
pele retesada e escurecida sujeita a rachaduras precoces se não estiver adequedamente umedecida. A descamação dura 5-7 dias e nesse período a paciente deve se afastar de suas atividades, evitar banhos de chuveiro e usar o emoliente nafazolina na pele a cada 2-3 horas durante o dia.

b. Peeling médio: a pele se torna extremamente retesada e escurecida e é comum ocorrer inchaço nos primeiros dois dias, principalmente ao redor dos olhos nos terços inferiores da face. A descamação dura de 6 a 8 dias e nesta fase a paciente deve seguir as mesmas recomendações do item a acima.

Contra indicações:
Os peelings devem ser evitados em pacientes sensíveis aos componentes do agente químico usado e em pacientes que apresentem tendência a quelóide, manchas escuras ou claras na pele. Pacientes de tez escura ou asiática devem ser tratadas a laser, pois há maior tendência a formação de quelóides ou manchas de pele.

Resultados esperados:
O resultado esperado é uma pele mais lisa, hidratada e viçosa.

Possíveis complicações:
Infecção, cicatrizes, descamação prematura, acne, inchaço prolongado, equimoses, alergias. Informar imediatamente seu médico caso algumdos problemas acima surgir.

Preenchimento facial e lipodistrofia


Tipos de preenchimento:

Implantes para fins estéticos ou corretivos de marcas faciais e cicatrizes. São feitos com vários tipos de substâncias, que se diferenciam pelo efeito temporário ou permanente da aplicação. Preenchimentos feitos com gordura, colágenos, aleoenxerto celular e ácido hialurônico, são temporários. Os implantes de PTFE e do metacrilado duram o resto da vida.

Quanto menor a duração do implante maior a margem de segurança do paciente submetido ao procedimento, explicam os médicos, considerando a possibilidade de efeitos indesejados e de alergia ao produto aplicado. Não é raro acontecer de um implante migrar de um local para outro do rosto, e causar estragos, especialmente se não forem respeitadas cuidadosamente as zonas de perigo facial, que são as mesmas do botox.

A possibilidade de alergia as substâncias pode ser reduzida com o levantamento prévio do histórico do paciente e de suas reações a produtos químicos, nas consultas que antecedem o procedimento. Cabe ao médico avaliar a necessidade de exames ou testes de laboratório para eliminar o risco de reações, caso a caso.

Indicações:
Em rugas e sulcos decorrentes da exposição excessiva ao sol ou conseqüência do envelhecimento, cicatrizes, doenças ou traumatismo que causaram algum tipo de atrofia na pele. O preenchimento não é recomendado para casos de flacidez e excesso de pele. Ele não substitui o lifting facial (plástica), indicado nestes casos, mas sim complementa esse tipo de cirurgia.

Contra Indicações:
Cada material implantado tem contra-indicações específicas. Algumas, no entanto, são comuns a todos. O preenchimento não deve ser feito por mulheres grávidas ou em lactação ou por pessoas que sofrem de doenças auto-imunes ou estiverem com inflamação ou infecção na área a ser tratada.

Anestesia
Pode ser local e tópica, intradérmica ou troncular - um tipo de anestesia que atinge uma das laterais do rosto, insensibilizando da boca ao maxilar até a bochecha.

Cuidados Pré e Pós-Operatórios
- Evitar o uso de anticoagulantes como ácido acetil salicílico, vitamina E e antiinflamatórios
- consumir apenas líquidos ou alimentos pastosos
- falar pouco e não tomar sol,
- não manipular a área tratada
- usar maquiagem só no dia seguinte
- o preenchimento dos lábios requer aplicação de gelo no local

Complicações
Edema, eritema dor e hematoma podem ocorrer com qualquer tipo de implante. Surgem no mesmo dia do procedimento e devem ser tratados com aplicação tópica de gelo e analgésicos ou antiinflamatórios.

PREENCHIMENTOS TEMPORÁRIOS

Gordura
O material é obtido do próprio paciente e não provoca reações alérgicas. A gordura é retirada por lipoaspiração e congelada. Pode ser reaplicada no paciente num período máximo de 3 meses.
Indicação: correção de sulcos, cicatrizes e preenchimento de áreas atrofiadas. Muito usada para preencher grandes áreas do corpo. É utilizada para preencher as maçãs do rosto.
Duração da aplicação: pode variar de 3 a 12 meses. Depende do defeito a ser corrigido, da qualidade da gordura obtida do paciente e do número e intervalo das reaplicações. A gordura é um material facilmente absorvido pelo corpo e daí a variação do tempo de duração do implante. A região das maçãs do rosto é onde o efeito é mais duradouro.

Complicações: o implante de gordura pode produzir fibroplasia, que é o crescimento anormal de tecido fibroso na região que recebeu o material, e oclusão arterial.



Flacidez

O que é:
É a diminuição progressiva da força de sustentação da pele.

Como aparece:
Ocorre um afinamento da derme e da camada de gordura subcutânea, geralmente acompanhada por diminuição do tônus muscular subjacente. Apesar de ser inerente á ação do tempo e característica da idade, a flacidez é acelerada pela exposição indevida ao sol, drogas (ilícitas ou legais como fumo e álcool), doenças sistêmicas, emagrecimento, stress e sedentarismo.

Diagnóstico:
Apresentam-se como rugas ou pregas cutâneas que ao serem tracionadas contra a gravidade readquirem o aspecto normal. A flacidez pode ocorrer em qualquer região corporal, mas é mais comum em face, pescoço, mãos, colo, mamas, braços, abdômen e nádegas (aonde podem ser confundidas com celulite).

Tratamento:
O tratamento tem de contemplar a pele e os músculos da região. Dieta saudável e exercícios orientados ajudam e devem ser sempre instituídos.

FACE E PESCOÇO: Dependendo do grau de flacidez, o tratamento pode ser clínico, cirúrgico ou ambos. O tratamento clínico consiste de revitalização da derme com laser, peelings, intradermoterapia, carboxiterapia, lipoescultura, massagens e cosmecêuticos. Os músculos são exercitados por programas de eletroestimulação computadorizada. A cirurgia plástica é freqüentemente indicada nos casos mais acentuados. A inserção de fios de dermossustentação e a cirurgia estética facial, também podem ser indicadas.

CORPO: Geralmente o tratamento clínico é o primeiro a ser tentado, principalmente por lipoescultura, massagens e cosmecêuticos. Os músculos são exercitados por programas de eletroestimulação computadorizada.

Resultado:
A combinação de tratamentos dentro de um programa compreensivo geralmente proporciona resultados satisfatórios e duradouros, porém não permanentes, já que o processo de envelhecimento continua.

Acne

Acne e suas cicatrizes

A acne, comumente conhecida como espinha, é uma doença inflamatória da pele que atinge ambos os sexos. Ela é gerada por uma inflamação dos folículos polisebáceos, normalmente associada à bactéria Propioniumbacterium acnes, variando de intensidade de grau I até IV. Sua incidência é maior durante a adolescência, podendo atingir 80-90% dos adolescentes, persistindo em alguns casos na fase adulta.

Devido a fatores hormonais, as formas mais graves da acne atingem pessoas do sexo masculino.
Sua fisiopatologia é complexa e envolve diversos fatores, como predisposição genética, fatores hormonais (sabidamente, hormônios sexuais influenciam na ocorrência de acne), fatores ambientais, estado emocional, fatores associados à pele como hipercornificação ductal, dentre outros. Basicamente as acnes se desenvolvem após uma secreção elevada de sebo pelas glândulas sebáceas, o que proporciona um ambiente ideal para desenvolvimento de microorganismos.
As manifestações da acne são variadas de acordo como grau das lesões. Podem se apresentar como comedões (cravos), pápulas (lesões avermelhadas, eritematosas e altas), pústulas (com presença de pus), nódulos e abcessos (lesões profundas e endurecidas). As regiões de maior ocorrência da acne são aquelas de maior oleosidade, como a zona T do rosto, nariz, peito e costas. Embora as acnes não sejam graves, causas conseqüências psicológicas para os seus portadores, que se sentem menos aceitos na sociedade e com baixa auto-estima.
Os tratamentos para a doença são variados e, normalmente, os médicos adotam múltiplas abordagens. Basicamente deve-se manter a pele higienizada e, atualmente, há uma variedade enorme de produtos no mercado com tal fim, como sabonetes, géis e adstringentes.
Agentes esfoliantes como peróxido de benzoíla e ácido salicílico também são usados. Além desses produtos, antibióticos tópicos e orais, como tetraciclina, eritromicina, dentro outros, têm eficácia contra a bactéria causadora das acnes.
No entanto para a acne mais grave e resistente á tratamentos tópicos, o uso da Isotretinoína oral pode ser a opção mais adequada.
Para isso uma avalição e acompanhamento médico são imprescindíveis. A Isotretinoína é eficaz e muitas vezes definitiva, mas tem varias parafeitas e não pode ser tomada na eventualidade de gestação.

Cicatrizes de Acne

Acne: Cravos e Espinhas, um problema de todos.

Muitas pessoas sofrem por causa das espinhas no rosto, todos já se perguntaram sobre como tirar espinhas no rosto, como acabar com espinhas ou mais, como tratar as manchas de espinhas. Então estamos aqui para tirar algumas pequenas dúvidas.

O quê é espinha, ou acne?
A acne (espinhas) é uma doença causada pela inflamação dos folículos sebáceos, ou apenas pelo acúmulo de sebo no seu interior.
A acne pode se manifestar como comedões (cravos), pápulas, pústulas (espinhas com pus) e nódulos (acne nodular). Ela é classificada em várias graduações, relacionadas com a gravidade da acne. As Espinhas podem aparecer em qualquer idade, da infância à vida adulta. Entretanto a grande maioria dos casos de acne surgem na adolescência. A incidência de acne na vida adulta é maior nas mulheres, chamadas de Acne da Mulher Adulta.

Causas das Espinhas e Acne
De uma forma resumida, a acne tem algumas causas definidas: alteração da ceratinização, aumento na produção sebácea, infecção bacteriana (principalmente o Propionibacterium acnes), alterações hormonais.

Acne e alimentação

Aqui cabe retirar um mito importante: alimentação. Os estudos clínicos científicos ainda não mostraram, até o momento, uma relação clara de alimentos com espinhas. Alguns estudos mostram pequena relação com acne, enquanto outros dizem que o consumo de qualquer alimento provoque acne.
Nessas situações uma possível recomendação é observar o seu caso. Se um alimento piora as espinhas, evite aquele alimento. Se não observa qualquer alteração das espinhas, não há porque evitar qualquer alimento.

Tratamento de Acne e Espinhas
Vamos nos concentrar agora em falar um pouco sobre o tratamento da acne, deixando claro que vamos apenas dar idéias gerais de como são os tratamentos, pois cada pessoa deverá consultar o seu médico, pois só medico  poderá decidir qual será o melhor tratamento para usas espinhas e, principalmente os efeitos que elas causam como manchas na pele, cicatrizes de acne, etc.

Alimentação
:
Como foi dito, a acne (espinhas e cravos) não tem relação com a alimentação, sendo assim, a princípio não há necessidade de qualquer restrição. Entretanto é comum que algumas pessoas notem o aumento com determinados alimentos. A orientação é que, se essa mudança for muito clara, ou seja, surgirem muitas lesões de acne quando utiliza determinada comida, você deve evite aquele alimento particularmente.
É fundamental a avaliação médica e acompanhamento, para segurança e resultado.

 

Melasmas e Manchas na Pele

Para evitar que a gravidez deixe as temidas manchas na face, é importante entender o problema e tomar as providências necessárias. A irregularidade típica dessa fase é conhecida como melasma ou cloasma gravídico, e se caracteriza por manchas provocadas pela distribuição excessiva de melanina nas duas primeiras camadas da pele, a epiderme e a derme. “Após exposição solar, o escurecimento pode surgir nas bochechas, na testa, no dorso do nariz, no queixo e acima do lábio superior”. As incômodas manchas são, na verdade, uma defesa da pele contra agressões como alterações hormonais, uso de medicamentos e, principalmente, exposição ao sol. É preciso ter cuidados a vida toda”,

Os três tipos de manchas
Além dos melasmas há também as sardas e as melanoses solares, ou manchas senis, que surgem na idade avançada em decorrência dos danos causados pelo sol ao longo dos anos. As manchas senis costumam surgir em áreas do corpo como mãos, braços, colo e ombros, e apresentam coloração que varia do castanho ao marrom.
Os tratamentos são semelhantes àqueles indicados para o melasma: cremes clareadores, peelings e alguns tipos de lasers.

Genética e hormônios
“O aumento dos hormônios femininos, estrógeno e progesterona, estimula o funcionamento do melanócito, célula da pele produtora de melanina”.Além da exposição ao sol, a lâmpadas e à radiação da tela do computador, as manchas também são desencadeadas por permanência em ambientes com temperatura elevada, distúrbios da Tireóide e dos ovários e uso de medicamentos como antibióticos e anticonvulsivantes. Os melasmas são mais comuns em quem tem pele morena, e a herança genética determina se uma pessoa terá ou não tendência ao problema. Quanto antes tratar, melhor.
Cuidados preventivos minimizam as manchas.
Na hora de lavar o rosto, é preciso escolher os produtos com cuidado.
“Como a pele está sensível por causa das alterações hormonais, é melhor que os produtos sejam suaves”.

Cremes clareadores
São mais indicados nos casos em que há tendência genética ao problema. Tais despigmentantes devem ser prescritos pelo medico, pois contêm substâncias como ácidos retinóicos, salicílico, glicólico, azelaico, fítico, lático ou mandélico, que bloqueiam a produção de melanina e sua distribuição pelas células da epiderme.

Peelings
Pode ser feito durante e depois da gravidez por indicação médica. O especialista passa um preparado na face que deve ser retirado algumas horas depois. Após dois ou três dias, tem início o processo de descamação e, com isso, a remoção de pigmentos. Duas semanas depois, a superfície já está mais clara.

Laser
Há diversas tecnologias que podem ser usadas pelo médico. “O microdermoabrasão promove um afinamento do tecido epitelial. Além de clarearem manchas, aumenta a produção de colágeno e atenua marcas de expressão”.

 

Olheiras


As olheiras, uma hiperpigmentação na face provocada por um depósito de melanina, aparece por vários motivos: cansaço, stress, trabalho exagerado, cigarro, excesso de bebidas alcoólicas, noites mal dormidas, grande ingestão de cafeína, período menstrual. Nesses casos, elas se originam pela dilatação dos vasos sanguíneos, que são chamadas pelos médicos de congestão vascular. Assim que o organismo se recupera, esse problema desaparece. Mas as olheiras podem ser causadas por questões genéticas, a etnia e, nesses casos, costumam ser permanentes com a tendência de aumentar com o avanço da idade.
Infelizmente não existe uma fórmula secreta para prevenir as olheiras. Mas pequenas mudanças no seu dia a dia podem ajudar a amenizar o problema. Invista numa alimentação equilibrada, pratique atividades físicas e, sempre que possível, durma bem.

Manter o sono em dia é essencial, sendo que quem dorme pouco mantém os olhos cansados, o que pode dilatar os vasos sanguíneos e provocar o surgimento de edemas nas pálpebras que fazem a mancha ficar realçada. A prática de exercícios regularmente inibe o cansaço, descarrega toda tensão e evita o stress.

Qualquer mudança positiva em sua rotina, além de prevenir as olheiras, beneficia a saúde e o bem estar.
Para disfarçar essas olheiras que aparecem casualmente, alguns truques podem ajudar. Uma compressa com chá de camomila gelado ajuda a diminuir a dilatação dos vasos sanguíneos. Hidratar a região com algum tipo de creme para a área dos olhos, que normalmente trazem em sua formulação componentes clareadores, também pode ser benéfico.  Cosméticos à base de vitaminas A, C, E, K também agem na elasticidade da pele, suavizando as rugas que podem acentuar as olheiras.
maquiagem também é bem-vinda na hora de esconder as olheiras.  Veja as dicas: aplique um corretivo com um tom mais claro que a base (prefira corretivos líquidos, que ajudam a hidratar a pele da região), dando leves batidinhas com as pontas dos dedos, em toda a região abaixo dos olhos, no cantinho interno dos olhos e na pálpebra superior; finalize com base e pó facial, mas sem excesso de produto, que pode realçar ao invés de esconder as olheiras.

Se elas já se instalaram e nenhuma dessas soluções suaviza a aparência, é preciso tratamento para olheiras. A mais nova opção do mercado é o tratamento com o Laser Elektra, indicado para eliminar as olheiras e estimular a produção de colágeno da pele.


 

Celulite ou Síndrome da Desarmonia Corporal

O que é:
É o nome pela qual é conhecida esta doença do tecido conjuntivo subcutâneo, que tem seu início em um quadro retenção de líquidos localizada e evolui para uma fibroesclerose, comprometendo a estrutura do tecido adiposo. Ocorre empastamento do espaço intercelular por alteração da microcirculação e da substância fundamental. Aumento da consistência cutânea, da sensação dolorosa local, da espessura tecidual e diminuição da mobilidade cutânea por aderência a planos profundos.

Como aparece:
Ocorre em 95% das vezes em mulheres. Existem predisposições genéticas, raciais (brancas) e sexual. Pode ser desencadeados por fatores emocionais, alimentares, café, fumo, anticoncepcionais, sedentarismo, postura (sentar), vestimentas apertadas, gravidez, doenças dos rins, do fígado e da coluna, insuficiência circulatória, infecções e medicamentos.

Diagnóstico:
É clinico pelo aspecto e palpação das lesões e se divide em: celulites duras, edematosas e flácidas, dependendo do tempo de evolução e grau de comprometimento do subcutâneo.

Tratamento:
Ultrassom, eletroestimulação e drenagem linfática.

Estrias

O que é:
São lesões de pele, que envolvem fratura e cicatrização da derme.

Como aparece:
Pode aparecer por ocasião da primeira menstruação, na gravidez, amamentação ou em pacientes que ganhem peso ou medidas rapidamente (edema ou gordura). Apesar de poder aparecer em ambos os sexos, é muito mais comum em mulheres. O aumento de peso com o estiramento relativamente rápido da pele faz com que esta se rompa internamente, que se cicatriza. A lesão inicialmente é avermelhada, mas quando madura, toma uma coloração mais clara que a pele a pele adjacente, especialmente quando se bronzeia.

Diagnóstico:
O diagnóstico é fácil e se faz visualmente. As estrias se formam de modo transversal ao sentido de estiramento da pele e podem ter vários centímetros. Na mulher ocorrem mais comumente nas mamas, braços, abdômen, nádegas e coxas. Podem estar associadas à obesidade, gorduras localizadas, celulite, gravidez, amamentação e a doenças ou medicamentos que provoquem acúmulo de líquidos nos tecidos, como colagenoses, doenças do coração, uso de corticóides e Síndrome de Cushing.

Tratamento:
O tratamento inicial é clínico, com correção dos fatores causadores e profilaxia do aparecimento das estrias com dieta e exercícios. Os procedimentos mais promissores são: peelings e dermoabrasão. O laser pode ser usado em lesões avermelhadas iniciais, mas ajuda pouco em lesões claras já estabelecidas.

Resultado:
Os resultados do tratamento em si podem ser satisfatórios no sentido de se diminuir a largura das estrias, tornando-as menos visíveis, porém o desaparecimento total das lesões não é possível por meio de tratamento clínico, já que a estria é uma cicatriz. A combinação de tratamentos parece ser a melhor alternativa e o número de sessões necessárias pode variar de 10 a 25. Mesmo o melhor tratamento não impede o aparecimento de novas lesões, caso os fatores causadores das estrias persistam.

Flacidez

A flacidez cutânea é um processo natural do organismo humano. Ela aparece com o tempo e, para cada pessoa, esse tempo é diferente.

Alguns fatores aceleram o processo de flacidez: ganhos ou perdas rápidos de peso, exposição excessiva ao sol, alimentação e ingesta de água inadequadas, tabagismo, privação de sono entre outros.

Nenhum tratamento é capaz de curar definitivamente a flacidez, pois como já foi dito ela é um processo natural da pele. Mas diversas atitudes podem retardar esse processo.

O primeiro passo é reverter os fatores que mencionei acima, ou seja: ter alimentação adequada e rica em proteínas, usar corretamente o protetor solar, não fumar, dormir bem.

Além disso, fazer exercícios físicos e de musculação é fundamental para manter o tônus das fibras musculares que sustentam a pele.

Por fim, há alguns tratamentos estéticos que prometem melhorar o aspecto da pele. Entre eles, a radiofreqüência, que estimula a produção de fibras colágenas; o peeling, que promove a renovação das camadas superficias de pele; a cirurgia plástica, para remoção efetiva de sobras de pele em determinadas áreas como as pálpebras; e alguns cremes cosméticos que podem fortalecer e rejuvenescer a pele.

Diante de tantas possibilidades, é difícil para o paciente, sem orientação adequada, escolher sozinho o tratamento ideal. Por isso, não basta entrar numa clínica de estética e comprar um "pacote milagroso", pois isso nem sempre funciona bem. É muito importante consultar um medico, que poderá indicar as melhores técnicas para o seu caso específico.

A flacidez é a maior inimiga da mulher, não importando se você é magra, está acima do peso ou se chegou aos quarenta anos de idade. Em alguns casos ela aparece antes do que a gente menos imagina por causa da predisposição genética.

A causa mais comum de flacidez são os hormônios femininos, os quais favorecem o depósito de gordura e são responsáveis pelas formas arredondadas do nosso corpo. Essas gorduras normalmente são depositadas e acumuladas nas coxas, na barriga, nos seios e nos glúteos. Com o envelhecimento natural do nosso organismo a pele vai diminuindo a produção das fibras de sustentação tanto do colágeno quanto da elastina e isso causa a flacidez na pele. Outras causas da flacidez são também o sedentarismo, o fumo, a gravidez, os distúrbios hormonais, a obesidade, o emagrecimento rápido e a herança genética.

A flacidez pode ser representada de duas maneiras diferentes, sendo as seguintes: flacidez do músculo, a qual é a mais profunda e a flacidez dérmica que no caso é a flacidez da pele que representa a parte superficial:

  • Pratique atividade física, pois ela é a principal aliada no combate à flacidez. É indicado a musculação e exercícios aeróbicos;
  • Use filtro solar, pois o sol ajuda a destruir as fibras elásticas da pele e isso pode fazer com que a flacidez se instale a vontade em seu corpo;
  • Diminua o efeito sanfona, pois essa de engordar e emagrecer também ajuda a aumentar a flacidez e além do que faz muito mal a saúde;
  • Não ingira bebidas alcoólicas e não fume;
  • Tenha uma alimentação saudável e totalmente balanceada, evitando a ingestão de muito açúcar e gorduras;
  • Tome muita água, pois o consumo de água hidrata e purifica o organismo. O mais indicado é a ingestão de 8 a 12 copos de água por dia;
  • Dê tchau ao sedentarismo, pois ele é um inimigo da saúde e causa flacidez.
Eletro estimulação, corrente russa.


O que é
A eletro estimulação promove aumento de massa e tônus muscular, associado à melhora do desempenho físico e da estética (diminuição de flacidez e definição de musculatura). pelo estímulo eletrônico dos três tipos de fibras musculares, fibras rápidas, lentas e mistas.

Indicações
Há quem procure a eletro estimulação porque, apesar de ser assíduo à academia, não tem abdome nem as pernas com a definição que gostaria. Algumas fibras musculares só são trabalhadas com exercícios que combinam força e velocidade. Por isso, mesmo quem faz ginástica pode continuar com um incomoda saliência na barriga. É justamente essa a principal indicação da eletro estimulação A técnica também seria indicada para aqueles que, após perderem quilos excedentes, percebem que estão com abdome, coxas e glúteos flácidos. O método ajuda a remodelar o corpo de quem perdeu peso, mas há comprovação de quem queima gordura.

Contra-Indicações
Portadores de marca-passo cardíaco.

Resultados esperados
A eletro estimulação pode ser vantajosa para quem leva uma vida sedentária. Os músculos do sedentário nunca são exercitados e esta seria uma forma de começar a recrutá-los. O que não quer dizer que o tratamento substitui a atividade física regular. Exercícios não são importantes apenas para a beleza, são fundamentais para a saúde.

Possíveis complicações
Desde que não seja usada em portadores de marca-passo cardíaco, a técnica é segura.

Varicoses


1) Como funciona o laser para eliminar os vasos da pele?
Os aparelhos de laser produzem feixes de raios que emitem comprimentos de onda com determinadas características que atravessam a pele sem a lesar atingindo a hemoglobina dos vasos sanguíneos. Ao receber o laser, a hemoglobina faz aumentar a temperatura do sangue que acaba por eliminar o vaso pelo calor. A duração, o poder e o tamanho do feixe de luz podem ser totalmente controlados pelo cirurgião, o que garante a precisão do tratamento.

2) Posso tratar as minhas varizes e varicoses com laser?

O laser é um grande avanço no tratamento das varizes, sendo indicado no tratamento das microvarizes e das tronculares. Porém, somente um cirurgião vascular após avaliação poderá indicar o melhor tratamento para eliminar as varizes e varicoses.

3) O tratamento a laser é dolorido?

O procedimento é levemente dolorido. A maioria dos pacientes tolera bem o procedimento e a aplicação de anestesia não é necessária. A ponta fria e o gel anestésico melhoram a dor. Após o procedimento, pode acontecer uma ardência leve que perdura por algumas horas.

4) O laser provoca manchas?
As técnicas modernas que utilizam o laser não provocam manchas. Todo tratamento requer alguns cuidados, deve-se evitar o sol antes, durante e até algumas semanas após a aplicação.

5) O laser pode ser utilizado em todos os pacientes?

Não. Somente um exame clínico do médico vai determinar qual entre todos os tratamentos disponíveis melhor se adapta para cada paciente. Existem outras técnicas que também podem ser utilizadas e até procedimentos combinados que usam o laser em parceria com outros tratamentos.

6) Tenho veias com varizes muito grossas. Ouvi dizer que o laser não elimina esse tipo de varizes. É verdade?

Para as varizes de grosso calibre é indicado o tratamento cirúrgico convencional e em fase inicial o laser endovascular.

7) Os resultados são eficazes?

Sim. Os tratamentos com laser eliminam os vasos existentes. Mas com o tempo novos vasos podem aparecer. Portanto, um tratamento de manutenção pode ser necessário. Alguns cuidados com a pele podem diminuir o aparecimento de novos vasos, como a proteção solar, as atividades físicas, entre outros.

8) Quais os benefícios do uso do laser?

A melhor indicação deste tratamento é possibilitar mais conforto ao paciente por sentir pouca dor, rapidez no tratamento, sem haver necessidade de parar as atividades do cotidiano, além do procedimento utilizar as técnicas mais modernas e eficientes para solucionar o problema.

 

Pintas/Verrugas

 

NEVUS (verrugas)


Pintas e Sinais de Nascença: Charme ou Perigo?

O que são?
O termo grego “nevus”, que significa defeito, é usado para designar as lesões pigmentadas da pele. Em português, o termo correto é “nevo” e significa "tumor benigno de células embrionárias". Podem estar presentes no nascimento ou se desenvolver durante a vida. Os maiores picos de surgimento e crescimento dos nevos são: a infância, a puberdade e a velhice. Fatores ligados a alterações hormonais que incluem uso de contraceptivos e a própria gestação parecem ter efeito indutor nesses tumores.

Qual o problema de ter nevos?
Nenhum, desde que eles se comportem dentro de certos parâmetros ideais. Algumas pessoas referem que essas lesões são charmosas e nem se preocupam em observá-las com maior atenção. Sabemos que pessoas de pele clara que apresentam muitas pintas, com diâmetros maiores que 1 cm, com história pessoal ou incidência de melanoma em parentes próximos, compõem um grupo de pacientes com maior risco de desenvolver melanoma.

O que é melanoma?
Melanoma é o tumor maligno oriundo de melanócitos doentes. Ele pode desenvolver-se sobre um nevo antigo ou pode surgir, repentinamente, na forma de uma pinta escura de características especiais.

Quando suspeitar de malignidade?
Quando uma pinta apresenta-se Assimétrica, de Bordas irregulares, de coloração irregular e com diâmetro maior que 6 mm (comparar com a grossura de um lápis escolar número 2). Temos aí a regra do A,B,C,D para o melanoma.

Então pessoas que tem muitos nevos devem submeter-se à retirada de todas as lesões?
Não, absolutamente. Hoje procuramos orientar as pessoas quanto às suas chances de desenvolver a doença e tentamos dirigir a retirada somente para aquelas pintas mais displásicas (com maior chance de serem cancerígenas).

 
Como é feito o seguimento desses pacientes com múltiplas pintas?
Nós temos procedido da seguinte forma O paciente é examinado clinicamente pelo medico. Faz-se o exame dermatoscópico das lesões mais significativas. Aquelas com indícios mais evidentes de displasia são removidas cirurgicamente e enviadas ao exame anátomo-patológico. Esse é o exame mais importante que vai nos dizer sobre a gravidade ou não das lesões em questão.

Quando o paciente tem um melanoma o que deverá ser feito a seguir?
Dependendo de certos parâmetros o melanoma deverá ser reoperado com maiores margens de segurança e muitas vezes se faz necessária a retirada de gânglios linfáticos para prevenir a disseminação da doença a outros órgãos (metástases). Nesses casos é o cirurgião oncologista que assume a conduta e acompanha o paciente durante 5 anos no sentido de detectar-se, precocemente, focos de metástases.

E as demais pintas do corpo? O que fazer com elas? Tiram-se todas?
Não é bem assim. Toda e qualquer alteração deve ser julgada pelo medico.


HPV e o Laser em Ginecologia


Introdução

Na ginecologia a irradiação do LASER de CO2 é a mais empregada, principalmente em patologias do trato genital inferior. Tem como característica ser bem absorvido pela água intracelular, vaporizando e cortando o tecido; não sendo adequado para a coagulação de vasos acima de 2-3 mm. Apresenta pouco efeito térmico nas margens.

O calor transmitido ao tecido adjacente leva à coagulação e necrose. Ele decresce exponencialmente da distância da superfície à profundidade, havendo mínima fibrose ou cicatriz, sem distorção da anatomia local. Esta característica difere do eletrocautéric que propaga o calor lateralmente.
O tecido epitelial e conjuntivo tratado com o laser regenera-se de forma cosmética e estética, preservando a função dos órgãos.

Na atualidade, aplica-se o laser de CO2 acoplado a flashscanners que são acessórios que promovem a desfocalização do raio em padrão geométrico, trabalhando sobre o tecido e o expondo ao calor em tempo inferior a um milisegundo. O efeito térmico atinge a profundidade de 30 mm em única passada, assim a restauração do epitélio é sem cicatrizes.

Indicações

Lesões HPV induzidas da vulva, vagina e colo do útero

a. Vagina
As neoplasias intra-epiteliais da vagina apresentam-se de forma multifocal e papilar, sendo na maioria das vezes localizadas no terço superior da parede vaginal.  As lesões condilomatosas simples em geral acometem o terço inferior e estão associadas às lesões vulvares.  Estas afecções, em geral de difícil manejo pelos métodos convencionais, tem alta taxa de resoluções com a laserterapia que gira em torno de 90% após primeiro tratamento e, 98% após tratamentos repetidos, segundo Diakomanolis 2003.
As vantagens do tratamento com laser CO2 acoplado ao colposcópio são precisão  e segurança.
A vaporização de vagina é realizada com uma profundidade que pode variar de 1,5 a 2,5 mm sem lesionar órgãos adjacentes.
As recidivas podem ocorrer por multifocalidade, inadequada profundidade de irradiação do laser, assim como inabilidade técnica do cirurgião.


b. Vulva

As indicações do laser na vulva são para lesões benignas até malignas. Tem como vantagem em ser um tratamento conservador permitindo resultados cosmético, estético e funcional excepcionais. Pode ser realizado em ambiente ambulatorial com mínimo desconforto à paciente sob anestesia tópica e local.
Os fatores que afetam adversamente os resultados da laserterapia na infecção pelo HPV na vulva citam-se:
• Duração da doença maior que 10 meses
• Doença extensa (lesões coalescentes que ocupam mais de 30% da superfície vulvar)
• Fumo e imunossupressão
• Fatores virais – lesão de alto grau e HPV oncogênico
• Curso clínico refratário (não resposta a mais de nove meses de tratamento)

Townsend et al. (1982) revelaram percentual de recidiva de 12% no tratamento das lesões intra-epiteliais da vulva.  No tratamento das lesões condilomatosas, Reid (1991) cita controle, com uma única aplicação, em 85 a 95% dos casos.

Na técnica de tratamento das lesões vulvares devemos respeitar os planos epiteliais. Para lesões subclínicas, vaporizar o tecido atingindo toda a espessura epitelial (1º plano); para lesões condilomatosas, atingir o epitélio e a derme papilar (2º plano); para neoplasias intra-epiteliais vulvares, epitélio, derme papilar e porção superior da derme reticular (3º plano). O fundo da feria ao atingir o 1o plano é reconhecido por uma superfície rósea, brilhante; o 2o plano lembra camurça com cor amarelada. O 3o plano, cor branco acinzentado. Nunca se devem ultrapassar estes limites, pois podem ocorrer complicações como queimaduras, hipocromias, alopecias e retrações (Reid, 1991).

É consenso mundial a terapia com laser nas lesões de HPV e NIV cuja história natural apresenta-se com característica de doença recidivante.

As técnicas de tratamento são vaporização ou excisão das lesões. A vaporização principalmente em lesões subclínicas e na finalização da base epitelial do procedimento excisional.

A técnica de irradiação do laser respeita os planos epiteliais, zonas pilosas e não pilosas, onde não se pode atingir além da lâmina própria. As complicações mais comuns observadas são hipocromia, retração, alopecia.

Na atualidade, aplica-se o laser de CO2 acoplado a flashscanners; são acessórios que promovem a desfocalização do raio em padrão geométrico, trabalhando sobre o tecido e o expondo ao calor em tempo inferior a um milisegundo. O efeito térmico atinge a profundidade de 30 mm em única passada, assim à restauração do epitélio é sem cicatrizes.

c. Colo uterino
No tratamento das lesões escamosas intra-epiteliais, podemos utilizá-lo como método destrutivo (vaporização), excisional ou combinado.

VAPORIZAÇÃO – Os critérios para a sua utilização nas neoplasias intraepiteliais seguem os mesmos preceitos dos tratamentos destrutivos, isto é:
• Apropriado diagnóstico prévio.
• Citologia, colposcopia e anátomo patológico em absoluta concordância.
• ZTA colposcopicamente definida em toda a sua extensão.
• Certeza de não haver adenocarcinoma “in situ”, carcinoma microinvasor ou francamente invasor.
• NIC limitada a ectocérvice, sem extensão ao endocérvice.
• Preferentemente não estar grávida.

Em suma: para vaporizar, a colposcopia deve ser satisfatória (lesão e JEC visíveis), sem que haja envolvimento do canal.

Na técnica da vaporização é importante a destruição da cripta glandular (profundidade até 6 mm), para evitar a persistência de doença no fundo da glândula. Isto é facilmente observado, com o borbulhamento do muco, até que o mesmo desapareça completamente.

Wright et al., (1993) citam cura de 96% das neoplasias intra-epiteliais cervicais na primeira vaporização. A cura é acompanhada da visualização da nova junção escamo-colunar em 90% das vezes, permitindo assim a colposcopia satisfatória.

CONIZAÇÃO A LASER – O laser de CO2 focalizado com alta potência é instrumento de corte preciso, com grandes vantagens. Os critérios para a sua realização seguem os preceitos do tratamento excisional:
• Lesão que se estende para o canal
• Sugestão de invasão do estroma, adenocarcinoma “in situ”.
• Endocérvice mostrando lesão
• Disparidade entre a citologia e o anátomo patológico
• colposcopia insatisfatória

Como importante contra-indicação é referida a distorção anatômica do colo uterino, por não permitir a definição da área a ser excisada.

Segundo Bandieramonte, o percentual de cura em NIC, em 454 cones foi de 96,9% nos casos com margens cirúrgicas livres.

A técnica nem sempre é fácil sendo necessário treinamento do cirurgião.

COMBINAÇÃO CONIZAÇÃO-VAPORIZAÇÃO – para lesões extensas, multifocais, com envolvimento da ectocérvice, canal endocervical, vagina e vulva. Esta modalidade representa uma das mais vantajosas, no emprego do laser no tratamento de infecções pelo papilomavírus humano do trato genital inferior.

• Cistos de Bartholin
De aparecimento freqüente, causando muito incômodo quando na fase de inflamação aguda, ou de convívio tranqüilo na fase crônica, mas muitas vezes causa de dispareunia nas mulheres, pode ser retirado com o LASER de CO2.

Hidradenites da vulva e Síndrome de Fox-Fordyce
As lesões podem ser extirpadas com LASER de CO2 até a sua raiz, evitando muitos incômodos à mulher.

Cistos sebáceos da vulva
Assim como o cisto de Bartholin pode-se proceder à sua remoção vaporizando o tecido com LASER de CO2

Ninfoplastia
Consiste na correção de estenose de intróito vaginal pós-perineoplastia e/ou craurose, Septoplastia vaginal
O laser, nestes casos, pode ser utilizado em ambulatório, com mínima dor, com excelente epitelização, sem fibrose e baixas taxas de recidivas.
A cirurgia a laser no trato genital inferior, quando bem indicada e bem executada, pode apresentar excelentes resultados terapêuticos, com menor dano estético e funcional e menor trauma cirúrgico.

Endometriose
Pode ser utilizado o laser de CO2 para promover a liberação dos tecidos envolvidos pela endometriose, sendo que o procedimento geralmente é realizado através de laparoscopia, com pinças adequadas que impeçam a reflexão do feixe e acometimento de estruturas vizinhas importantes.

Vantagens da cirurgia a laser no trato genital inferior:

    • Precisão da exerése e destruição, tanto em extensão lateral e profundidade.
    • Possibilita intervenção em áreas restritas e dificilmente atingíveis com os instrumentos clássicos (ex: paredes e fórnices vaginais, pregas cicatriciais vaginais, clitóris, uretra, ânus).
    • Possibilita a intervenção em tecidos infectados devido à propriedade esterilizante do laser.
    • Oclusão de vasos sanguíneos e linfáticos de pequeno calibre.
    • Escassa perda sanguínea.
    • Bom resultado estético (ex: no tratamento das lesões vulvares).
    • Bom resultado funcional (ex: no tratamento das lesões vagina).
    • Tratamento ambulatorial com anestesia local na maioria dos casos.
    • Plano de focalização do raio coincide com campo colposcópio, permitindo observar o efeito sobre o tecido em tratamento, em sua superfície e profundidade e vaporizando áreas de infecção subclínicas do HPV.
    • Resolução da maioria das lesões em uma única sessão.

 

• Desvantagens

  • A irradiação com laser de CO2 produz fumaça que pode conter partículas virais do HPV, podendo contaminar o ambiente;
  • Pouco poder de coagulação de vasos com diâmetro maior que 1 mm;
  • Custo do equipamento e manutenção;
  • Treinamento especializado

Depilação

O que é
Consiste na aplicação de um facho de luz pura (laser Light Sheer) sobre o pêlo, cujo pigmento melanina, absorve seletivamente a luz e a transforma em calor. A temperatura local se eleva localmente por alguns milésimos de segundo, o tempo suficiente para carbonizar o pêlo. O calor no entanto, se dissipa antes que possa lesar a pele ao redor. É um dos mais bem sucedidos tratamentos estéticos a laser disponíveis na atualidade.

Indicações
Depilação de qualquer local piloso. Especialmente bem indicado em hirsutismo (pilificação aumentada) de causa hormonal, como, em mulheres, a Síndrome do Ovário Policístico e a Menarca (primeira menstruação) Precoce e nos homens, a Sicose (inflamação da barba) e pêlos encravados. No entanto o método é mais usado para a eliminação de pêlos para fins estéticos.

Contra-indicações
Em pacientes bronzeados, com tendências a quelóides, que estejam em uso de Roacutam (isotretinoína oral) ou tetraciclinas.

Resultados esperados
Os folículos pilosos (pêlo e sua raiz) tratados por este método, são permanentemente eliminados, levando a uma diminuição acentuada e prolongada na quantidade de pêlos de uma unidade estética.

Possíveis complicações
São raras e reversíveis. A principal complicação são as manchas claras ou escuras, que aparecem em peles escuras ou bronzeadas. Este é o motivo pelo qual é imperativo que não se tome sol sem proteção antes e após a aplicação do laser.

Rejuvenescimento e crescimento capilar

Dados agregados em 15 anos de estudos clínicos e científicos documentam um aumento de 40 a 60% no crescimento dos fios de cabelo através da Terapia a Laser.

Mecanismo de ação
A fonte direta de luz do laser realiza movimentos rotativos durante a sessão terapêutica de acordo com um algoritmo próprio. Isto facilita a melhor cobertura da área do couro cabeludo, mantendo os níveis apropriados de irradiação e garantindo a cada unidade capilar exposição otimizada à luz. É um procedimento indolor e não-invasivo. O paciente observa, respectivamente, a redução da queda capilar, o espessamento e crescimento dos fios de cabelo.
Com um sucesso notável de até 85% na interrupção da queda de cabelo, o laser estimula o crescimento biogênico através de seu ponto de laser de Diodo de 670nm, sem complicações.

Como funciona :
O laser atinge diretamente o couro cabeludo, sem aquecê-lo. Uma ação antiinflamatória, combinada com o aumento da micro circulação local, leva mais oxigênio, nutrientes e remove as toxinas. Dessa forma, estimula as células germinativas, o crescimento dos fios e ajudam no controle da seborréia.

O Cabelo

Aspectos Gerais e Funções
José Ángel Suro Reyes,* Luisa Ma. Gutiérrez Fernández,**
Javier Ruiz Ávila,** Pierre Bouhanna*

Funções do Pêlo
O cabelo é o maior apêndice do corpo humano, tem uma importância vital para o bom funcionamento de nosso ser. É exclusivo dos mamíferos. Em alguns se apresenta como cerdas, lanugo ou cabelo terminal do homem, noutros se manifesta como pêlos afilados. Distribuem-se em todo o tegumento exceto nas palmas, plantas e lábios. É um órgão cujas funções são: proteger do meio ambiente (abrigando-nos do frio e da radiação ultravioleta evitando o dano actínico) e dos traumatismos; as sobrancelhas e os cílios protegem ao globo ocular da luz ultravioleta, corpos estranhos, suor e água; em as narinas e ouvido externo regulam as mudanças de temperatura.

Tem uma grande quantidade de terminações nervosas, que nos provem de sensibilidade à pressão e tato, muito importantes para o contacto e comunicação corporal. Em alguns animais o cabelo tem duas mil terminações nervosas o que o converte em uma maneira a mais de perceber a grandes distancias. O cabelo é condutor da secreção das glândulas sebáceas e apócrinas, estas últimas se distribuem especialmente em axilas e virilha, exalam um aroma característico para atrair pessoas do sexo oposto.

Importância na sociedade
De todas as funções do cabelo, o impacto que tem não individuo para si mesmo e para os demais é sem dúvida o mais importante. Nas sociedades, culturas, raças e religiões cada uma tem sua maneira de expressar-se pelo cabelo. A forma do cabelo é uma de as características hereditárias mais importantes e exatas. O cabelo quase negro dos papuas que habitam na Nova Guiné e africanos, cresce a partir de um folículo curvo que continua em um espiral com secção transversal plana. O cabelo dos chineses, japoneses e indígenas americanos são lisos, grossos, compridos e quase sempre negros, crescem de um folículo reto, com secção transversal circular e tem uma medula facilmente distinguível. Os europeus, hindus e semitas têm cabelo ondulado, crescem a partir de um folículo reto porém com certa tendência a enrolar-se, à secção transversal é oval e a cor varia muito de ruivo claro a negro . Também dependendo da raça, o cabelo pode predominar e ser mais evidente nos sítios andrógeno dependente em ambos sexos.

No mundo moderno o cabelo comprido das mulheres se transforma em cabelos curtos, as cores e penteados são muito variáveis, é comum que se prendam o cabelo, a forma mais popular é a chamada "rabo de cavalo" que se localiza na região occipital, as tranças estilizadas das mulheres africanas com figuras geométricas em moda em nosso meio e é uma causa muito freqüente de alopecia cicatricial por tração em meninas em idades pré-escolares.

No homem se utiliza o cabelo comprido ou o cabelo curto, as modas mudam e se chega a utilizar o raspagem completa do couro cabeludo. O cabelo é tingido das mais diversas cores que se possa imaginar, inclusive em uma mesma pessoa com cores diferentes.

Desenvolvimento do cabelo
Os primeiros folículos se desenvolvem a partir da 9a semana de gestação e se distribuem em cílios, lábio superior e queixo. O resto o faz aproximadamente entre o 4o e 5o mês de gestação em sentido crânio-caudal, depois não existe mais desenvolvimento folicular.

Existem três tipos de cabelo no homem: o lanugo que se produz in útero para perder-se nos primeiros três meses de vida extra-uterina; o velo que substitue ao primeiro, ambos carecem de medula; e o cabelo terminal, que tem medula e em idades pré-adolescentes se localiza no couro cabeludo. O velo sob o influxo hormonal a partir da puberdade se converte em cabelo terminal, se distribui nas áreas andrógeno dependentes: axilas e púbis inferior em ambos sexos, assim como na face (barba, bigode, narinas, ouvido externo); em extremidades, tórax e púbis superior no homem.

O cabelo da couro cabeludo cresce 0.4 mm por dia, o número de folículos é o mesmo em ambos sexos. Um adulto tem no total 5 milhões de folículos pilosos em todo o corpo dos quais 1 milhão se localizam no couro cabeludo e somente 100 mil chegam a ser cabelo terminal. Estudos por biopsias sugerem que ao nascer temos 700-750 folículos por cm2 no couro cabeludo e esta quantidade decresce com o tempo a 200-400 cabelos por cm2.

Longitudinalmente o cabelo se divide em três secções: 1) infundíbulo 2) o istmo e 3) o segmento inferior, que se limita da parte inferior do sitio de inserção do músculo eretor do cabelo à parte distal do folículo piloso, este a sua vez se subdivide não bulbo, sitio aonde se encontra a papila dérmica que faz uma invaginação para ser rodeada pela matriz.

No bulbo, em seu diâmetro mais comprido se encontra linha de Auiber e se divide em parte superior e inferior aonde se apresenta o maior número de mitoses que dará origem ao cabelo.

O cabelo está formado principalmente por queratina uma proteína de alto peso molecular. Se encontra principalmente no córtex, é insolúvel e resistente as enzimas proteolíticas, sua estrutura consiste em cadeias polipeptídicas com 18 aminoácidos, o mais importante é a tirosina e especialmente cistina (15-16%); é rico em enxofre porém a cistina se encontra somente em mínimas quantidades. A composição da queratina não é constante e se modifica por fatores genéticos, dieta e agentes tóxicos.

Analises química demonstram a presença de traços dos seguintes metais em forma de cátions: Ca, Cd, Cr, Cu, Hg, Zn, Pb, Fe, e Se, a maioria dos quais, provem do meio ambiente que se integram ao cabelo.

Ciclo do cabelo.
No ser humano o crescimento do cabelo é assíncrono o que ocasiona que os cabelos vizinhos estejam em fase distintas do ciclo. Para fins didáticos se leva em conta o ciclo folicular do couro cabeludo. O cabelo cresce de 0.35 a 0.45 mm ao dia que equivalem a crescer 1 cm por mês. Cresce mais rápido dependendo do sexo, (nas mulheres é maior) e de sua localização, sendo mais rápido no vértice que na região parietal. Anágeno: O ciclo anágeno é o mais comprido, tem uma duração aproximada de 1000 dias, nesta fase se encontra a maioria dos cabelos, entre um 80 a 85%, é altamente ativo, tem uma replicação celular similar ao sistema hematopoético, o que explica o por que é muito sensível ás deficiências alimentarias e à quimioterapia. O cabelo nesta fase está firmemente aderido o que dificulta seu estudo direto na prova de estiramento ou tração, a parte do bulbo se localiza não tecido adiposo, seu tamanho é constante.

Catágeno: É a fase mais curta com uma duração aproximada de 10 dias ou de 2 a 3 semanas. Representa menos de 1% do cabelo. O catágeno é a manifestação da "apoptose" ou "morte celular" a nível da matriz, para a melanog�nese e a melanina começa a diminuir, é o momento em que a matriz se retrai e se separa da papila as células da protuberância darão inicio a um novo folículo.

Telógeno: Fase de descanso, tem uma duração aproximada de 100 dias, reapresenta de um 10 a 15% do cabelo. O bulbo é amelânico, se desprende com facilidade à mínima tração, em fases tardias cai ao pentear-se ou se desprende só. Os folículos apresentam uma longitude equivalente à metade ou um terço da que tinha em anágeno. Em circunstancias fisiológicas como o gestação, pós-parto ou em situações de estresse, febre prolongada, se aceleram os ciclos foliculares e se apresenta o eflúvio telógeno em que observamos o desprendimento do cabelo espontaneamente.

Alopecia
A alopecia é a manifestação de enfermidade mais comum do cabelo e se define como a perda adquirida de cabelo, para que um individuo perceba ausência ou escassez do cabelo é porque já perdeu mais de 50% do cabelo original no sitio afetado. Classificam-se em dos tipos, a alopecia cicatricial e a alopecia não cicatricial. A alopecia cicatricial é uma lesão irreversível e folicular, a alopecia não cicatricial é uma alteração reversível. De acordo com a classificação proposta por Loannides as alopecias se classificam em:
1) Alopecias congênitas por aplasia do folículo piloso que são, por ausência o diminuição do número de folículos que se conhecem como atriquia e hipotricosis, as genodermatoses com hipotricose e displasias pilosas que causam hipotricose;
2) Por destruição do folículo em conseqüência de traumatismos físicos, químicos, infecções cutâneas, tumores e dermatoses especiais;
3) Por aumento de indução do telógeno;
4) Por miniaturização folicular;
5) Por aumento do telógeno e supressão do anágeno como a alopecia areata;
6) As que são por eliminação do cabelo em anágeno. As causas podem ser originadas por deficiências vitamínicas, de ferro, dietas hipocalóricas, enfermidades sistêmicas de tipo hormonal que intervierem na foliculogênese como os transtornos hormonais tireóidea, hormônio do crescimento, o hiperinsulismo que se acompanha de um hiperandrogenismo ocasionando uma alopecia de tipo androgenético de origem hormonal, alterações do fígado, as ocasionadas por medicamentos que interferem não ciclo folicular como os anti-neoplásicos, corticoesteroides, etc. As alopecias ocasionadas pelo homem, são aquelas causadas pelo paciente com a depilação crônica manual utilizando uma "pinça", cera, mel ou cremes, em estéticas ou salões de beleza com a eletrolisie ou em centros de depilação com laser e outros equipamentos com os que se pretende eliminar cabelo de uma maneira permanente.

Conclusões
O cabelo é um órgão da pele que quando nascemos temos a quantidade de folículos pilosos necessários para nosso corpo e tem capacidade de regenerar-se no resto de nossa vida. É uma projeção da pele que através de suas terminações nervosas nas células neurosecretoras ou de Merckel nos põe em contacto com o exterior, é um órgão protetor de fatores físicos, químicos e infecciosos.

Carregadas de significados, as tatuagens perpetuam na pele um momento especial, um amor e até uma convicção política. Mas o tempo passa, a vida muda e, em alguns casos, elas podem perder o significado que antes possuíam, passando a se tornar indesejáveis. O que fazer então?

Até há alguns anos atrás a saída era apenas a retirada cirúrgica ou a dermoabrasão. Métodos ainda utilizados em alguns casos, apresentam limitações de acordo com o tamanho da tatuagem e a sua localização.

Além disso, como em qualquer cirurgia, há o problema das cicatrizes, que em locais como ombros e tórax, podem se tornar bastante inestéticas, inclusive com risco de formação de cicatrizes hipertróficas (elevadas).
Remoção com laser

Atualmente, já é possível apagar tatuagens sem deixar as cicatrizes do passado, utilizando-se o laser, método mais moderno para esta finalidade. O tratamento é feito em várias sessões, cujo número vai depender do tamanho da tatuagem, da profundidade do pigmento na pele e, também, da cores utilizadas nos desenhos.

A tinta negra é as cores mais utilizadas, seguidas pela azul, verde e vermelhas e, depois, amarela e laranja.

Tatuagens mais recentes apresentam uma maior variedade de cores, incluindo tons de rosa, roxo e cores fluorescentes. Nestes casos, para destruir seletivamente todas as cores da tatuagem pode ser preciso utilizar mais de um tipo de laser, pois cada laser atinge uma gama de cores específica.

As sessões não são totalmente indolores, mas o tratamento é bem suportado. Para atenuar o incômodo das aplicações pode ser utilizado uns cremes anestésicos, que é aplicado no local uma hora antes da sessão.

No entanto, o tratamento não é mágico. Muitas vezes, não é possível remover toda a tatuagem, pois pigmentos mais profundos persistem deixando uma sombra do que foi a tatuagem. Em outros casos, após a remoção completa, a pele tratada fica mais clara do que a pele ao redor, como uma mancha esbranquiçada, que pode ser transitória ou não. Hiperpigmentação também pode acontecer, deixando a pele mais escura que a pele não tratada.

A grande vantagem do laser, é que a pele que não foi tatuada não é atingida pelo tratamento, pois a luz emitida pelo aparelho é atraída seletivamente pelas cores da tatuagem. Em alguns casos, pode ser utilizado um laser ablativo (que destrói as camadas superficiais da pele) antes do tratamento final, para expor melhor os pigmentos ao laser que vai destruí-los.

Cuidado com o pigmento vermelho e marrom. Se for utilizado o óxido de ferro como pigmento, muito comum em pigmentações de sobrancelhas, ele pode escurecer, tornando-se negro após o uso do laser.

 


Artigos

Fraxel - Rejuvenescimento a laser

 

por Lucia Mandel-http://veja.abril.com.br/blog/estetica-saude/arquivo/fraxel-rejuvenescimento-a-laser/


O efeito rejuvenescedor dos tratamentos a laser é fascinante. Eles renovam a pele, melhoram a textura, suavizam rugas, removem manchas. Apesar dessa tecnologia ser relativamente recente, ela já evoluiu muito e hoje existem vários tipos de laseres disponíveis. A vantagem é poder escolher o mais indicado para o seu caso.

Nessa coluna vou falar sobre o Fraxel, um dos laseres mais modernos, extremamente eficiente no poder de recuperação da pele envelhecida. Para você entender o diferencial desse aparelho, aí vai uma breve explicação sobre laseres rejuvenescedores. Antes do Fraxel, os laseres eram divididos em dois grupos básicos: os que machucam muito a pele e os que machucam pouco. Todos eles com a característica de atingir inteiramente a superfície da pele tratada: toda a pele do rosto, do pescoço ou das mãos (característica diferente do Fraxel, como você vai perceber mais adiante).

Na hora de escolher o tratamento, médico e paciente decidiam entre uma agressão mais profunda ou mais suave.

No tratamento mais agressivo, a vantagem é o resultado extremamente eficiente com apenas uma sessão. Há notável suavização das rugas, até das mais profundas; melhora das rugas ao redor dos olhos e lábios; melhora de manchas; retração da pele, num efeito parecido ao de um lifting suave. Em grande parte, o efeito rejuvenescedor desse tratamento vem do estímulo à proliferação do colágeno. Mas esse tratamento é sofrido, pois as camadas mais superficiais da pele são removidas. A pele fica muito machucada e bem avermelhada por pelo menos duas semanas. O tratamento dói, requer curativos e reclusão por um período que pode chegar a um mês. Na correria da vida moderna, para a maioria das pessoas, isso é impraticável.

No tratamento mais suave, a camada mais externa da pele é poupada. As manchas são removidas e estimula-se o colágeno sem deixar a pele ferida. O tratamento é excelente e provoca muito menos lágrimas. São necessárias algumas sessões para o resultado final, que no entanto não vai ser tão bom quanto o do tratamento agressivo.

E finalmente chegamos ao Fraxel, um intermediário entre os dois tipos de tratamento já citados. Ele surgiu de uma descoberta interessante: fazendo uma agressão potente, mas que atinge pontos microscópicos da pele, espalhados pela área de tratamento, o resultado final é muito bom. Para compreender o que significa atingir a pele em pontos isolados, pense em um cano jorrando água. Isso é o laser "comum". Agora, visualize um chuveiro. Isso é o Fraxel. Ele atinge nossa pele em milhares de pontinhos microscópicos, muito mais finos que um fio de cabelo, mas agressivos. Cada pontinho de agressão penetra profundamente da pele, criando colunas de pele tratada entremeadas a áreas de pele sã. O médico seleciona a profundidade da penetração na pele e a densidade da agressão.

Observou-se que a agressão salteada da pele faz com que o corpo, através de um mecanismo de cicatrização e reparo de feridas, produza colágeno. Com isso, a pele por inteira fica mais firme e rugas são apagadas. A agressão salteada também elimina células envelhecidas. Manchas de idade melhoram e a pele rejuvenesce, fica mais macia, mais uniforme e mais tensa. O tratamento também suaviza cicatrizes de acne. Isso tudo com a vantagem de uma recuperação rápida. O Fraxel pode ser aplicado em qualquer local da nossa pele, como rosto, pescoço, colo, braços ou mãos.

Para um bom resultado são necessárias de três a cinco sessões, com intervalos de duas a quatro semanas. Há sensação de queimação por poucas horas, a pele fica inchada por um dia, e avermelhada por menos de uma semana. Nada parecido com o sofrimento causado pelos laseres mais agressivos. E, comparando com os mais suaves, o resultado em relação à suavização das rugas e firmeza da pele é melhor.

 

Pele mais jovem com laser CO2 fracionado

 

por Lucia Mandel- http://veja.abril.com.br/blog/estetica-saude/tratamento/pele-mais-jovem-com-laser-co2-fracionado/


Sua pele não pode ser jovem para sempre. Mas por um bom tempo a mais, pode sim. Um ótimo aliado na recuperação da vitalidade e juventude da pele é o laser CO2 fracionado. Ele aumenta a firmeza, suaviza rugas e remove manchas.

Como funciona?

O laser atinge a pele em colunas bem próximas umas das outras, aquecendo e eliminando as células atingidas. A pele fica cheia de pontos microscópicos sem células superficiais, as células antigas, que serão substituídas por células novas. E entre esses pontos, surgem áreas da pele intocadas pelo laser, que também sofrem aquecimento. O aquecimento ativa o colágeno, que prolifera, se remodela e fica mais firme.

O tratamento

Serve para eliminar manchas e rugas leves e suavizar rugas profundas, podendo ser aplicado em qualquer área da pele. Você pode escolher entre tratamento intenso, com grande densidade de pontos atingidos pelo laser, ou tratamento mais suave. Os resultados estéticos aparecem logo após a recuperação e a pele continua a melhorar por meses, porque a remodelação do colágeno leva de quatro a seis meses para se completar.

Além do tratamento rejuvenescedor, o laser CO2 consegue atenuar cicatrizes de acne. E também é útil no tratamento de estrias.

Dependendo do aparelho utilizado no tratamento, da potência selecionada pelo médico e da indicação são necessárias de uma a quatro sessões de tratamento. A exposição ao sol deve ser evitada por 2 semanas após cada sessão de tratamento.

Recuperação

A recuperação da pele varia de acordo com a potência usada no tratamento. No tratamento suave, o tempo de recuperação é menor. No tratamento agressivo a recuperação leva mais tempo, de até duas semanas, mas a melhora da pele é maior.

 

Depilação a laser em adolescente

 

por Lucia Mandel-http://veja.abril.com.br/blog/estetica-saude/tratamentos/depilacao-a-laser-em-adolescente/


Tenho uma filha de 14 anos que tem buço muito visível, o que a incomoda. Gostaria de saber o que resolve neste caso, principalmente por ela ser tão jovem.
(Conceição)

Adolescência é fase de grandes mudanças no corpo. É na adolescência que modificações hormonais, somadas às características genéticas herdadas da família, causam, por exemplo, o crescimento de pelos. Há pessoas que aceitam e assumem suas características genéticas. Mas essa aceitação pode vir com o tempo e amadurecimento. Nesse momento, é hora de você ajudar sua filha a resolver o que a incomoda. Antes, o pediatra deve pesquisar se existe algum possível problema causador do excesso de pelos. Se não existir, ela pode usar qualquer método depilatório disponível. As opções são as tradicionais pinça ou cera, ou então, o laser.

Caso a opção seja pela depilação a laser, alguns cuidados devem ser tomados. Se a pele é branca, ela não pode estar bronzeada pois corre risco de queimadura com laser. Se a pele é negra, o uso do laser deve ser feito com mais cuidado, pois também existe maior risco de queimaduras. Deve-se evitar depilação com pinça ou cera por um mês antes da sessão. Mas raspar os pelos até o dia da sessão pode. Isso não prejudica o tratamento.

Pelos grossos e escuros são mais facilmente removíveis pelo laser do que pelos finos e claros, que nem sempre respondem bem a esse tratamento. Isso limita em parte a depilação dos pelos do buço, que são na sua maioria finos e claros. Mas ainda assim o tratamento vale a pena, já que os pelos que mais incomodam são justamente os grossos e escuros.

A idade não limita o tratamento. Mas considere que sua filha adolescente não completou seu desenvolvimento e novos pelos ainda podem surgir. Por isso é possível que o tratamento precise ser repetido no futuro. Ainda assim, a depilação a laser pode ser a melhor escolha para acabar com o sofrimento dela.

 

Remoção de Tatuagem

 

por Lucia Mandel-http://veja.abril.com.br/blog/estetica-saude/arquivo/remocao-de-tatuagens/


“Só as mágoas que eu trago hoje em dia e essas rugas o amor me deixou” 
(Lupicínio Rodrigues)

Se o amor acabou, bola pra frente. É hora de fazer uns ajustes nos porta-retratos, se encher de ânimo e partir para outra. Muitas vezes, também é hora de procurar um dermatologista para remover aquela tatuagem feita no auge da paixão.

Arrependimento por ter feito tatuagem não é raro. O tempo muda muita coisa, e o que parecia tão definitivo pode perder a importância, ou até incomodar. Temos o direito de mudar de idéia. Felizmente, nos casos das tatuagens, o laser permite essa mudança.

Antes desse tipo de tratamento, só era possível remover uma tatuagem com cirurgia ou com dermabrasão, que é uma raspagem controlada da pele. Mas esses métodos deixam cicatrizes.

O laser revolucionou o tratamento. Ele destrói seletivamente o desenho tatuado sem machucar a pele. A luz passa através da epiderme, a primeira camada da pele, e atinge especificamente a tinta que foi colocada na derme — a segunda camada da pele.

E como essa luz consegue agir tão seletivamente?

Consegue porque cada tipo de laser é absorvido por uma cor apenas, ou por uma gama de cores parecidas. A cor que absorve o laser depende do aparelho usado. Existem aparelhos que emitem luz absorvida apenas pela cor preta (ou por cores escuras, como o azul escuro.) Já outros aparelhos emitem luz absorvida por pigmento vermelho. O verde absorve outro tipo de luz.

Quando o pigmento colorido da tatuagem absorve a luz do laser, ele é fragmentado em minúsculas partículas, que acabam eliminadas pelo próprio corpo. Com esse método, o laser não é absorvido pelas células da pele, ou é muito pouco absorvido por elas. É isso que faz com que ele destrua seletivamente a tatuagem.

Essa seletividade também faz com que cada cor de pigmento exija um tipo diferente de laser para ser destruída. Se a tatuagem for muito colorida, dois ou mais aparelhos emissores de laser são necessários para resolver a situação.

O desenho desaparece completamente da pele?

Nem sempre a remoção é fácil. Há casos bem difíceis. O número de sessões necessárias varia muito, dependendo do tamanho da tatuagem, da quantidade e profundidade do pigmento e das cores utilizadas. Uma tatuagem profissional costuma ter maior quantidade de pigmento, o que dificulta a remoção e requer um número maior de sessões. Fica ainda mais difícil se o pigmento for colocado mais profundamente na derme. Nesses casos, ao final do tratamento, pode sobrar um pouco da tatuagem, já que o pigmento profundo nem sempre é atingido pelo laser.

A cor preta é a que sai mais facilmente. Felizmente essa é a cor mais freqüente nas tatuagens. Alguns tons de verde e os pigmentos amarelos são mais difíceis de remover.

Quais são os riscos do procedimento?

Realiza-se uma sessão por mês. Apesar do laser ser bastante seletivo, como em qualquer tratamento com este método, existe um risco de queimadura da pele. Risco que aumenta nas pessoas bronzeadas ou de pele morena ou negra: nesses casos, há maior quantidade de melanina, pigmento escuro que dá cor à pele e que também absorve a luz do laser. Uma queimadura pós laser causa manchas na pele, que tanto podem passar ou ficar definitivamente. Existe também um pequeno risco de deixar cicatriz.

Por isso, o tratamento tem que ser feito com bastante cuidado, por médico especializado. Mas a boa notícia é essa: o tempo consegue apagar as mágoas de um amor passado. E a medicina consegue apagar a tatuagem.

 

Laser - A medicina da luz

 

Metade de todos os procedimentos médicos, das mais diversas especialidades, tem como primeira indicação esse feixe de luz concentrada. E as pesquisas  mostram que seu uso pode se ampliar para muitos outros campos

por Adriana Dias Lopes - http://veja.abril.com.br/060110/laser-medicina-luz-p-068.shtml


O mundo, do jeito como o conhecemos hoje, seria impossível sem o uso do laser. Esse feixe de luz concentrada é imprescindível na transmissão de dados pela internet e no sistema de telefonia. Quando ouvimos um CD ou assistimos a um DVD, lá está ele, transformando ondas eletromagnéticas em sons e imagens. Graças ao laser, as filas nos supermercados e bancos andam mais rapidamente - os códigos de barras são interpretados por ele. É essa luz, ainda, que dá exatidão milimétrica à mira dos mísseis lançados pelos navios, aviões e tanques de guerra; mantém os trens alinhados sobre os trilhos; permite a medição dos poluentes atmosféricos... "Com suas múltiplas funções, o laser é, sem dúvida, a invenção mais impactante do mundo moderno", diz o físico Nilson Dias Vieira Junior, superintendente do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen). Há uma área do conhecimento humano, no entanto, em que a revolução provocada pelo laser, ainda que grandiosa, ocorre de maneira silenciosa, quase imperceptível para a maioria das pessoas. Na medicina, ele corta (com muita precisão e pouco sangue) músculos, pele e ossos. Monitora o crescimento de tumores e os faz evaporar. Substitui medicamentos no tratamento de doenças crônicas, como artrite reumatoide e asma. Estimula a renovação celular e pode ser capaz até de diagnosticar lesões na retina. Dentro da medicina, ainda, há outra área em que o laser é um bálsamo, sobretudo agora, no verão. Na dermatologia, além de remover as manchas de pele e as linhas de expressão, a luz corta literalmente o mal pela raiz, ao danificar os bulbos capilares e impedir o nascimento e o crescimento de pelos indesejáveis. Na temporada de corpos à mostra, não ter de se preocupar com a depilação e exibir as pernas lisinhas o tempo todo é (quase) um milagre.
O primeiro aparelho de laser foi criado em 1960 pelo físico americano Theodore Maiman (1927-2007). Seu objetivo era desenvolver uma fonte de energia para ser usada em experiências de laboratório (veja o quadro). O laser é a única fonte de luz que se propaga de forma organizada, em uma mesma direção, por meio de ondas de comprimento idêntico. Tais características o tornam um emissor de grandes quantidades de energia e de fácil manipulação. Em 1961, por obra da curiosidade de um oftalmologista pelas novas tecnologias, o laser foi usado fora de um laboratório de pesquisa. Charles Campbell (1926-2007), do Instituto de Oftalmologia do Centro Médico Presbiteriano da Columbia, nos Estados Unidos, utilizou-o para eliminar um tumor maligno da retina de um paciente. Desde os anos 50, os médicos empregavam a luz solar para queimar lesões na retina. Com uma lente, eles convergiam os raios de sol diretamente para o olho do doente. Ainda que o laser seja 1 septilhão de vezes mais forte, ele provocava menos efeitos colaterais, como queimaduras. Isso porque, ao contrário da energia solar, é mais controlável e direcionável. As operações de Campbell foram consideradas revolucionárias e, assim, a nova técnica começou a ser testada nos diversos campos médicos. Mas o grande impacto do laser na medicina só viria na década de 90, com a difusão dos aparelhos por pulsos. A emissão passou a ser feita, por exemplo, por meio de microtiros, o que permitiu o uso de potências elevadas em procedimentos delicados ou superficiais. De lá para cá, o laser tornou-se a primeira opção para nada menos do que 50% de todos os procedimentos médicos - o dobro em relação há vinte anos.

Nenhuma área da medicina foi tão beneficiada pelo aperfeiçoamento do laser quanto a dermatologia. Ele é a principal indicação para 95% das terapias antienvelhecimento - da remoção de manchas ao aumento da produção de colágeno, a fibra responsável pela firmeza e elasticidade da pele. Na década de 80, o laser era utilizado em apenas 40% dos casos, sobretudo nas peles profundamente marcadas pelo tempo. "Nessa fase, eu não me atreveria a usar o laser em pacientes com menos de 40 anos", diz Adilson Costa, dermatologista da Pontifícia Universidade Católica de Campinas. "As marcas do tratamento - vermelhidão e queimaduras - eram tão profundas que obrigavam os pacientes a ficar em casa por até um mês." Atualmente, alguém que se submete a uma sessão de laser, não importa a finalidade do procedimento, pode sair do consultório do dermatologista diretamente para o trabalho.

Todas as intervenções estéticas à base de laser consistem em danificar parte das células da área tratada, de modo a estimular a renovação celular. É nesse processo que manchas, vincos, marcas de expressão e pés de galinha desaparecem - ou são, no mínimo, bastante atenuados. É possível rejuvenescer a pele em até cinco anos, mas para isso é necessária uma aplicação por mês, durante quatro meses. Além disso, em dois anos é preciso voltar ao consultório do dermatologista. Existe, porém, um tipo de marca que o laser apaga para sempre - as cicatrizes provocadas pela acne. Até então, não havia nada que desse jeito nelas. De cremes a peelings abrasivos, vencer essas marcas era um dos maiores desafios da dermatologia estética. A empresária Gloria Varella, de 47 anos, concordou em se submeter ao tratamento quando o médico lhe garantiu que, depois das aplicações, ela não precisaria interromper suas atividades diárias. "Tive uma ótima surpresa: além de ir trabalhar no mesmo dia, ninguém notou os efeitos das aplicações", diz. Após cinco sessões, Gloria estava com o rosto lisinho.

Não há mulher que não sonhe com o dia em que se verá livre da depilação - poucas obrigações estéticas são tão chatas quanto ter de se submeter à cera quente ou fria de quinze em quinze dias. Pois o laser consegue matar os bulbos capilares, o nascedouro dos pelos. Depois de cinco meses de tratamento, com uma sessão por mês, os pelos praticamente desaparecem. Como a natureza dá sempre um jeito de driblar o homem, entre dois e cinco anos mais tarde, os pelos reaparecem - mas mais fracos. Para eliminá-los, é preciso fazer mais aplicações de laser - agora em sessões de manutenção, de uma a duas vezes ao ano. "Não existe tratamento de beleza mais prático e fantástico criado pela medicina do que a depilação a laser", diz a apresentadora Sabrina Sato, de 28 anos. Há três anos, ela se submeteu a três sessões de laser nas axilas. Desde então, nunca mais recorreu a lâminas descartáveis. Um ano atrás, Sabrina voltou ao dermatologista para duas aplicações de manutenção. Às loiras, um alerta: o raio laser não consegue destruir os bulbos de pelos claros.

Hoje, graças à exatidão dos cortes a laser, 95% dos pacientes deixam de usar óculos depois de uma operação de miopia. Para se ter ideia da tecnologia dos aparelhos empregados nesse tipo de cirurgia, os feixes de luz que eles emitem têm a duração de cerca de 10 femtossegundos. Um femtossegundo equivale a 1 segundo dividido em 1 quatrilhão de vezes. "Como o contato do laser com a córnea é mínimo, podemos utilizá-lo em altas temperaturas e em estruturas muito delicadas, como a córnea e a retina", diz o oftalmologista Max Damico, do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Aliada ao calor intenso, a rapidez dos feixes de luz transformou o laser numa espécie de bisturi de altíssima precisão. Três anos atrás, o aposentado Artur Martins da Silva, de 72 anos, começou a apresentar uma sensação de ardência no olho esquerdo. Durante seis meses, ele prorrogou a visita ao oftalmologista. Imaginava que o desconforto fosse produto da poluição e do stress. No momento em que começou a perder a visão, Silva foi em busca de ajuda médica e descobriu ter sido vítima de uma obstrução nos vasos da retina. Submetido a uma cauterização a laser, ele recuperou 40% da visão. A cirurgia durou meia hora.

O alcance do laser no corpo humano vai da superfície da pele, como nos tratamentos estéticos, a órgãos e estruturas mais recônditos, como rins, ossos, coração, próstata, colo do útero e pulmões. Os feixes de luz chegam a tais regiões por meio da endoscopia, laparoscopia ou cirurgia aberta. O controle da temperatura do laser é fundamental para o sucesso de tais procedimentos, especialmente nas regiões mais vascularizadas. Quanto maior a quantidade de sangue, maior é o risco de formação de coágulos, o que pode levar à obstrução de vasos sanguíneos. No tratamento da hiperplasia benigna da próstata, um mal que atinge 14 milhões de brasileiros com mais de 50 anos, o calor emitido pelo laser tem de girar em torno dos 200 graus. O intuito nesse caso não é cauterizar o tecido prostático excedente, e sim fazê-lo evaporar.

O laser é também o único método capaz de bombardear cálculos renais, independentemente de seu volume. Uma das técnicas mais tradicionais prevê a explosão das pedras nos rins por meio de ultrassom. No entanto, os cálculos pequenos, de diâmetro inferior a 1 centímetro, na maioria das vezes, escapam à ação das ondas sonoras. À do laser, nunca. Ao reduzir as pedras renais a tamanhos microscópicos, ele livra os pacientes da dor durante o processo de eliminação pela urina do que sobrou delas. "O único inconveniente é que o procedimento exige anestesia geral, pois a passagem do endoscópio pelo ureter é dolorosa", diz Gustavo Guimarães, urologista do Hospital A.C. Camargo, em São Paulo. A sedação foi o motivo que levou o engenheiro Marcelo Pachalian, de 39 anos, a recusar o laser a princípio e optar pelo ultrassom. "Tenho horror a hospital", diz ele. Não adiantou evitar. O cálculo que estava localizado no rim direito não foi destruído e poucos dias depois, com fortes dores, Pachalian voltou ao hospital. No início de dezembro, submeteu-se ao laser e a pedra foi desintegrada.

Uma das novidades mais promissoras é o laser conhecido como frio ou terapêutico, que tem 1 grau Celsius de temperatura. Ele interage com as células, fazendo com que a produção de substâncias essenciais para a saúde do organismo seja regulada. "Trata-se de um dos mecanismos mais complexos e fascinantes no tratamento de doenças e de problemas estéticos", diz Maria Cristina Chavantes, diretora do Serviço da Central Médica de Laser do Instituto do Coração, em São Paulo. O laser frio é capaz de equilibrar a produção de hormônios envolvidos nos mecanismos da analgesia e de inflamações por asma. Asmática, a assistente social Márcia Mascarenhas Ganen, de 44 anos, ficou livre das crises de falta de ar e das bombinhas de corticoides depois de quatro aplicações.

Uma das mais extraordinárias frentes de estudo ocorre na área de diagnósticos. Hoje em dia já é possível detectar algumas doenças por meio do feixe de luz, como no caso de distúrbios na retina e tumores superficiais, em especial o de pele. Tais máquinas, porém, não são precisas a ponto de conseguir substituir a biópsia. Esse é o grande objetivo de cientistas dos melhores centros de pesquisa do mundo. O Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e o MD Anderson, ambos nos Estados Unidos, e o Ipen, no Brasil, investigam a criação de uma tecnologia mais abrangente, que permita o diagnóstico de um leque maior de distúrbios. Sabe-se que, conforme o tipo de célula rastreada e as características do laser, a luz é absorvida de maneira diferente - os tumores malignos, por exemplo, são grandes consumidores de energia. A expectativa é que, em uma década, seja possível mapear as células humanas em todas as suas minúcias, por meio de laser em laparoscopias, endoscopias ou até mesmo por sobre a pele. Para as próximas gerações, essa será a luz no fim do túnel.

 

-->

Fale Conosco

(43) 3357-1020
Av. Maringá, 1972 - Londrina - PR

Um valor é necessário.Formato inválido.

Por favor preencha o seu n. de telefone.Por favor - ddd-telefonePor favor - ddd-telefone